Deputado garante que estado terá reforço de mais 4 mil PMs


Delaroli assumiu o mandato no início deste ano foto divulgação


O deputado federal Marcelo Delaroli (PR-RJ) destinou R$ 7 milhões de emenda parlamentar para a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Rio. A verba será usada para a convocação dos quatro mil aprovados em concurso público para o curso de formação de soldados da Polícia Militar no ano de 2014.


O parlamentar enviou oficio na última quarta-feira (31) para o ministro de Governo, Antônio Imbassahy solicitando o repasse imediato da verba para a Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro.


Para Marcelo, o repasse para a segurança do Rio além de respeitar o direito dos concursados aprovados servirá para melhorar as condições dos policiais.


“Este valor foi tudo que recebi por ter assumido mandato este ano. A emenda não é só para fazer justiça a todos que passaram no concurso e são mais que merecedores, mas também para ajudar toda população do estado do Rio que tem vivido no medo por falta de segurança”, disse.


A posição do parlamentar se faz cada vez mais necessária após a diminuição do número de policiais nas ruas. De acordo com o Jornal O DIA, a Polícia Militar tem no seu efetivo 1.841 homens a menos nas ruas do que em janeiro do ano passado. Em 2014, o contingente era de 45.903 policiais; em 2015, de 46.723; e em 2016, de 47.270. Ou seja: o contingente atual, de 45.429 homens, é inferior ao que o estado apresentava em 2014.


De acordo com o jornal, de 2014 a 2016, 1.275 agentes se aposentaram por ano, 115 morreram e 127 deixaram a corporação por indisciplina ou voluntariamente.


Nos seis primeiros meses de 2017, um total de 314 PMs passaram para a reserva e 66 morreram — dos quais 13 estavam em serviço e 53, ou 80%, estavam de folga.


"Pensando nessas baixas, e a necessidade de aumentar o efetivo do Estado, tanto na capital como no interior do Estado para auxiliar no patrulhamento, as fronteiras, o combate ao tráfico e garantir a sensação de segurança, a convocação dos concursados se faz necessária com urgência", afirmou Marcelo Delaroli.