Carnaval Fora de Época: uma das alternativas para o fim do Ouro Negro

Maricá é o município que mais recebeu royalties do petróleo no primeiro trimestre deste ano, superando Campos dos Goytacazes e Macaé.  Ficou com  R$ 152 milhões, seguida de Niterói com R$ 101 milhões. E quando acabar o Ouro Negro, como vai ficar? A extração do petróleo não é infinita e, pensando assim, legislativo e executivo estão buscando alternativas para o futuro e uma delas é o turismo, vocação da cidade, que gera emprego e renda o ano inteiro. Recentemente, em entrevista ao GBNEWS, o prefeito Fabiano Horta (PT) disse que a cidade terá no futuro um Parque de Exposição para a realização de grandes eventos.

 

                                                Casal Fabiano-Rosana Horta e a corte do carnaval 2017    foto SMTV

 

Dentro desse pensamento, a Câmara Municipal aprovou ontem em segundo turno,  o Projeto de Lei (PL) do vereador Dr. Felipe Auni (PSD)  que cria  o “Carnaval Fora de Época”, evento que conta com a simpatia do prefeito Fabiano Horta (PT) que resgatou, neste ano, o desfile das escolas de samba.

 

“O Carnaval Fora de Época” nada mais é do que o desfile das escolas de samba de Maricá, o que não acontecia há 8 anos e que foi resgatado neste ano pelo prefeito Fabiano Horta. No lugar de desfilar no carnaval em fevereiro ou março, as escolas se apresentarão no último final de semana de julho a partir de 2018. Assim,  vamos gerar emprego e renda o ano inteiro para costureiras, músicos, coreógrafos, compositores, intérpretes etc”, justificou Auni.

 

Questionado por parlamentares oposicionistas de que saúde e educação são prioridades e não o carnaval, Felipe Auni explicou que cada secretaria tem seu orçamento e que a de Turismo não foge à regra.

 

“Concordo que as áreas de  saúde e educação são importantíssimas, mas o povo também tem direito ao lazer e com eventos culturais como este, estaremos atraindo turistas nacionais e estrangeiros, lotando hotéis e pousadas da nossa cidade, além de estamos movimentando o comércio em geral. Lembro que a extração do petróleo tem limite e estamos pensando lá na frente”, disse o vereador acrescentando que as grandes escolas de samba do Rio de Janeiro vão colaborar com as de Maricá, cedendo seus equipamentos utilizados nos desfiles da Marques de Sapucaí, garantindo uma boa economia nos gastos.

 

Na votação de ontem, a surpresa ficou por conta do vereador Marcinho da Construção, que apesar de estar no Democratas, partido de oposição, sempre votou com os governistas. Dessa vez, Marcinho foi contrário ao projeto de lei apoiado pelo prefeito Fabiano Horta. Também votaram contra, os líderes do DEM e do PEN, respectivamente, Felipe Poubel e Ricardinho Netuno.

 

                                                                               Felipe Auni e Fabiano Horta em sintonia    foto Pery Salgado

 

O PL segue para a prefeitura e Fabiano Horta terá 15 dias para sancioná-lo ou não.

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino