Preta Gil: Bloco da cantora se apresenta neste domingo na Parada LGBT+ de Arraial

Personalidade é uma palavra que pode tentar definir a cantora Preta Gil. Mas defini-la não é tarefa fácil. Em um bate-papo exclusivo com a Folha, Preta, que neste domingo (01) leva toda a sua alegria e irreverência para a 10ª Parada LGBT+ de Arraial do Cabo, fala sobre preconceito, amor, tolerância e intolerância e, claro, Arraial: “A cor da água sempre me impressionou e a Praia do Farol é uma das mais belas praias do Brasil”. O bloco da Preta se apresenta na Parada que acontece neste domingo na Orla Flávia Alessandra, na Praia Grande, a partir das 14h

Preta Gil bateu um papo com a reportagem da Folha dos Lagos e o GBNEWS reproduz:

Folha dos Lagos – Qual a importância da parada em Arraial do Cabo?

Preta Gil – É tão importante quanto qualquer outra do mundo, não importa onde e nem quando. Toda iniciativa de inclusão, aceitação e união é válida. Fico feliz que Arraial do Cabo esteja dando passos nessa direção. É sinal que a cidade está atenta a evolução de sua sociedade a partir da união e respeito entre seus cidadãos.

Folha – Como é neste momento de intolerância levantar a bandeira LGBTs?

Preta – Todos os dias, cada um de nós e sobre qualquer outro aspecto da vida, devemos levantar a bandeira do amor e do respeito pelo próximo. O preconceito sempre esteve presente nas relações humanas. A questão não é o momento, mas o que devemos fazer para que nossa casa, nossa rua, nossa cidade, país ou mundo sejam melhores lugares para viver e conviver. Todos temos nossas questões e certos limites, mas não podemos dificultar a vida do outro se quisermos ser felizes. Estamos aqui para evoluir juntos, a vida é curta demais para criarmos mais obstáculos para nós mesmos e para o outro.

Folha – Você roda todo o país em paradas....Qual o sentimento tem percebido?

Preta – No meu show, no meu mundo, no meu público, não há lugar para discórdia, para desunião e desrespeito. O sentimento é o de assumir ser o que se é e pedir respeito, pois devemos ser todos iguais se temos os mesmos direitos e deveres.

Folha – Você já esteve em Arraial em outra oportunidade? Conhece as praias? O que acha da cidade? Qual o lugar mais curte?

Preta – Quando eu não tinha tantas coisas para fazer eu tinha como aproveitar, fui bem mais nova quando eu podia aproveitar mais. A cor da água sempre me impressionou e a Praia do Farol é uma das mais belas praias do Brasil.

Folha – O que as pessoas podem esperar do evento?

Preta – Festa, alegria, amor, sentimento de união e muita música animada.

Folha – Qual o recado você manda para as pessoas que veem esses movimentos com preconceito?

Preta – Que deveriam aproveitar a vida para ser e fazer feliz. Todos teremos um final igual. Não sabemos quando então enquanto estamos aqui vamos aprender a amar pra ser amado.

Folha – Como define o momento que vivemos no país?

Preta – Vivo cada dia e não estou aqui para definir nada. Faço a minha parte e torço para que o Brasil progrida e cresça como nação. Se cada um fizer o seu, evoluiremos juntos.