Finalmente...


Até que enfim uma sessão ordinária foi proveitosa na Câmara Municipal de Maricá. Ontem a tarde, sem muita conversa fiada, os vereadores aprovaram o reajuste salarial dos Guardas Municipais, tornaram Monumento Natural o Morro da Peça, no Recanto, em Itaipuaçu, graças ao Projeto de Lei do Dr. Felipe Auni (PSD) e, ainda, aprovaram a criação da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência por sugestão do representante do PCdoB, o vereador mais jovem da Casa, Felipe Paiva.


Outro tema em pauta que despertou muita atenção foi o serviço de transporte UBER em Maricá. Alguns vereadores questionaram a segurança e demonstraram insatisfação com a utilização do aplicativo na cidade. Eles alegaram prejuízos aos taxistas e vão promover uma audiência pública para discutir o serviço e seus impactos negativos para a economia local.


Os vereadores Marcus Bambam (PV), Rony Peterson (PR) e Ismael Breve DEM) defenderam os taxistas, que para trabalhar são obrigados a pagar uma taxa em torno de R$ 800 e a apresentar uma série de documentos.


O presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT) também está preocupado com a atuação do Uber em Maricá. Segundo ele, hoje quem chama esse serviço não tem nenhuma segurança, porque não existe fiscalização e o usuário não sabe quem está levando sua família.


A insegurança também foi destaque na sessão ordinária. Todos concordam que Maricá deixou de ser aquele paraíso e que a bandidagem vem agindo tranquilamente, porque a exemplo de todo o estado, não existe policiamento. O 12º BPM em Niterói também atende Maricá, que recebe um número bem reduzido de policiais militares que não fazem milagres. Daí a insegurança instalada.


É bom lembrar que após uma entrevista gravada em vídeo, que rodou pela internet e publicada na grande imprensa, com o então prefeito Quaquá (PT) mandando Pezão (PMDB) “tomar naquele lugar”, o governador se esqueceu definitivamente de Maricá. Está acontecendo o que aconteceu no governo de Rosinha Garotinho, na época no PMDB. O ex-governador Garotinho brigou com o então presidente Lula (PT) e o Estado ficou sem investimentos federais. Eles brigam e o povo é castigado.


Para terminar, me lembrei de uma passagem tragicômica da sessão de segunda-feira. O vereador oposicionista Felippe Poubel (DEM) ao se referir a prisão de um empresário que mexe com alimentos, afirmou que a Lava Jato tinha chegado a Maricá. Prontamente foi rebatido pelo governista petista Hélter Ferreira, que com seu senso de humor à flor da pele, disse que a lava jato tinha chegado há muito tempo na cidade e que é aonde ele lava o carro. Foi uma risada geral e o democrata encarou numa boa a interrupção.


Poubel se referia a uma empresa que desde 2009 é responsável pela merenda nas escolas municipais de Maricá, tendo faturado cerca de R$ 33 milhões e que no contrato de 2017 o ganho será de R$ 4.800.