top of page

Tapetes de Corpus Christi de Maricá foram confeccionados com 8 toneladas de sal grosso

Rio de Janeiro, 09/6/2023

Por redação GBNEWS

Fotos: Clarildo Menezes

A tradição dos tapetes de Corpus Christi atraiu milhares de pessoas ao centro de Maricá nesta quinta-feira (08). Grupos de diferentes paróquias da cidade, e também de municípios vizinhos, se concentraram desde o início da manhã na Avenida Nossa Senhora do Amparo, em frente à igreja matriz. De acordo com os organizadores, foram utilizadas oito toneladas de sal grosso na confecção dos 89 tapetes, todos com três metros de comprimento e dois de largura, com um total de 311,5 metros de extensão. A Prefeitura de Maricá apoiou o evento com agentes da Secretaria de Trânsito e Engenharia Viária (Sectran) e da Guarda Municipal.


Desde cedo, chamava a atenção a empolgação dos grupos, compostos por pessoas de todas as idades, que entoavam cânticos de exaltação a Jesus Cristo e à eucaristia, representada nos tapetes.


“O melhor de tudo é ver a alegria e a unidade da igreja nesse dia”, afirmou o assistente contábil Daniel Britto, de 24 anos, que desde os 8 anos participa do preparo pela paróquia de São José de Imbassaí. “Vejo os mais novos fazendo e penso que um dia fui em, também pequeno, ajudando no trabalho”, lembrou ele.


Veterana nesta celebração, dona Ilza Viegas tem 77 anos e conta que aprendeu com os pais a participar. “Desde criança eu venho para fazer os tapetes. Para mim, o grande momento é quando a procissão passa com a imagem do Santíssimo Sacramento. Dá um prazer enorme saber que fomos nós que preparamos o caminho para ele passar”, avalia a moradora do Centro.


Para a vendedora Sheila Vieira, de 47 anos, o Corpus Christi deste ano tem um caráter de superação. Ela disse que não pôde participar no ano passado porque havia contraído a covid-19 e quase foi entubada durante sua internação.


“Foi exatamente no dia 8 de junho que minha família tomou a decisão de me levar para casa e, de lá, acompanhei as celebrações, sempre orando pela cura. Agora fiz questão de vir para agradecer e também para estar de novo nesse clima de irmandade, de servir à igreja e agradar a Deus em comunidade”, contou ela, que é da paróquia de Rio do Ouro, em São Gonçalo.


Um dos organizadores do evento, Eduardo Casado, reforçou que é este o propósito do grande encontro. “É essa união que vimos aqui o que mais vale em todo o nosso trabalho. A alegria das famílias, com pessoas de todas as idades no mesmo propósito, que é a comunhão no louvor a Deus através da eucaristia. Por isso, nossos tapetes são feitos pela manhã, para permitir que todos venham sem possíveis restrições de horário, cansaço ou o frio da madrugada”, explicou ele, que integra a comissão de organização.

Tradição virou patrimônio cultural e religioso há 10 anos


À tarde, houve também a tradicional missa ao ar livre e a procissão de Corpus Christi, que passou por toda a extensão da Avenida Nossa Senhora do Amparo e parte da Rua Domício da Gama, parando para uma bênção especial aos enfermos do hospital Conde Modesto Leal. Os fiéis retornaram em seguida para a frente da igreja matriz.

Esta edição completou 10 anos que os tapetes de Corpus Christi de Maricá se tornaram por lei patrimônio público cultural e religioso da cidade. No dia 15 de maio de 2013, a Câmara dos Vereadores aprovou o texto do projeto de lei nº 025, de autoria do então presidente do legislativo municipal, e (hoje prefeito) Fabiano Horta (PT), e do então vereador (hoje secretário de Esporte e Lazer), Filipe Bittencourt.


Comentários


bottom of page