top of page

Presidente da Câmara de Niterói vira réu por improbidade, omissão e nepotismo

Rio de Janeiro, 17/10/2023

Por Redação GBNEWS

Presidente da Câmara de Niterói, Milton Cal, é réu no caso Emusa


O Ministério Público Estadual denunciou e a Justiça aceitou tornar réu o vereador Milton Cal (PP), presidente da Câmara de Vereadores de Niterói, por omissão, no caso da empresa pública Emusa que servia de cabide de emprego para centenas de amigos e parentes de políticos niteroienses. Segundo o Ministério Público (MP), Milton Cal teria cometido “ato de improbidade” uma vez que, na “qualidade de presidente da Mesa Diretora e Presidente da Câmara, deixou, dolosamente, de praticar ato de ofício, consistente em dar andamento a requerimentos formulados pelos vereadores de informações sobre a Emusa.” No fim de março, o RJ1 da TV Globo mostrou que a Empresa de Moradia, Urbanização e Saneamento de Niterói (Emusa) é investigada por suspeita de nepotismo e contratação de funcionários-fantasmas para atender interesses eleitoreiros.

Entre os contratados estava Flávia Chagas Marques, mulher de Milton Cal, que chegou a trabalhar na Emusa, com salário de R$ 9.500. Após a reportagem, ela foi exonerada do cargo.

Procurado, Milton Cal informou que os requerimentos já foram analisados pela Câmara e que vai juntar as atas ao processo. Investigação Milton Cal (PP) passou a ser alvo do Ministério Público do Rio de Janeiro por praticar ainda “ato de improbidade” uma vez que, na “qualidade de presidente da Mesa Diretora e Presidente da Câmara, deixou, propositalmente, de dar andamento a requerimentos formulados pelos vereadores de informações sobre a Emusa.” A inação de Cal teria inviabilizado a “fiscalização por parte do legislativo e da sociedade na Empresa Pública”, que dobrou seus gastos de pessoal desde 2021 com a gestão do prefeito Axel Grael (PDT). A Emusa gerencia um dos maiores orçamentos de Niterói, com mais de R$ 765 milhões do caixa público. (Fonte G1)


Comments


bottom of page