top of page

Praça Marechal Floriano Peixoto recebe Encontro de Capoeira de Itaboraí

Rio de Janeiro, 15/5/2023

Por Redação GBNEWS

Fotos: Secom/PMI

Um dia para ficar marcado na história da capoeira de Itaboraí. É que a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com a Rede Municipal de Apoio a Capoeira (REMAC), realizou o Encontro de Capoeira de Itaboraí, na quadra da Praça Marechal Floriano Peixoto, no Centro, neste de sábado (13). O evento contou com a presença de praticantes da modalidade de todas as regiões da cidade, e ainda dos apaixonados pela cultura. O prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli (PL), fez questão de comparecer ao evento e parabenizar todos os envolvidos pela organização. "Mais um evento em comemoração pelos 190 anos da cidade. Muito bacana e para todas as idades, criançada, adultos, todos juntos. Quero agradecer a todos vocês pelo trabalho e presença, e dizer que podem contar com a nossa gestão", destacou Marcelo Delaroli.

Após participar do passeio ciclístico com centenas de itaboraienses no Centro, Marcelo Delaroli fez questão de prestigiar o encontro na praça em frente a Prefeitura

O Encontro de Capoeira de Itaboraí contou com a participação de representantes da modalidade dos oito distritos do município. Assim, promovendo a união e integração entre os mestres e praticantes da capoeira na cidade. Dentre as atividades executadas, aulão recreativo para as crianças, aulão de maculelê, musicalidade, citação de poemas, cantigas e outros. Presente no encontro, o secretário municipal de Cultura, Roberto Costa, falou da satisfação de poder promover este evento e como a capoeira é importante no município. "Para mim foi uma grande surpresa um movimento tão forte, firme e coeso que é a capoeira do nosso município. Tenham a certeza que faremos tudo que puder para sempre oferecer espaços", disse o secretário agradecendo os mestres, contramestres e alunos presentes.

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, a data também foi escolhida (13 de maio), por ser celebrada a abolição da escravatura no Brasil, marco significativo para a capoeira, já que a arte marcial brasileira tem origem nas lutas e resistências dos escravizados. Membro do Conselho Municipal de Cultura, na área da cultura afro-brasileira e membro da Associação San Cipriano de Capoeira, Rodrigo da Conceição, conhecido como mestre Pitboy, elogiou a ação. O mestre ressaltou ainda que pratica capoeira há 30 anos e há 19 anos faz parte de projetos socioculturais, que atualmente contam com 100 participantes, entre crianças e adultos. "Para nós é muito importante esse encontro, até mesmo por conta do reconhecimento do município perante a capoeira. E ainda termos sido convidados para organizar e fazer parte das comemorações de aniversário da cidade. Hoje temos aqui diversos profissionais de capoeira, que trabalham há mais de 30 anos no município, e acho que essa é a primeira vez que as portas se abrem realmente e convidam a capoeira de fato para fazer parte dessa festividade", comentou mestre Pitboy.



Comentarios


bottom of page