top of page

Maricá tem programa de suporte para pessoas com deficiência

Rio de Janeiro, 21/12/2023

Por Redação GBNEWS

Fotos: Evelen Gouvêa/Anselmo Mourão/Gabriel Ferreira

A Prefeitura de Maricá lançou nesta quarta-feira (20) o "Auxílio Cuidar", maior programa de suporte a pais e responsáveis legais que cuidam em tempo integral de pessoas com deficiência (PcD) no município. O evento, totalmente inclusivo, foi marcado pelo seminário “A Magia do Cuidar”, com rodas de conversa, apresentação de dança, tendas temáticas e atividades lúdicas para crianças e muita informação sobre os programas desenvolvidos pela Secretaria de Políticas Inclusivas.

Em uma área com 4,2 mil metros quadrados, no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), na Mumbuca, o lançamento contou com a participação de mais de duas mil pessoas, entre beneficiários do programa, convidados e autoridades do município.

 

O programa “Auxílio Cuidar” destina 1.320 mumbucas (equivalente a R$ 1.320,00) a 2.800 pais e responsáveis legais que cuidam de pessoas com deficiência em tempo integral, além de oferecer apoio para as famílias com ações intersetoriais promovidas pela Secretaria de Políticas Inclusivas envolvendo diversos órgãos, como as secretarias municipais de Saúde, Assistência Social, Educação e Trabalho. 

Durante a cerimônia de abertura, o prefeito Fabiano Horta (PT) explicou que o Auxílio Cuidar é mais do que um suporte financeiro às famílias, mas, sim, um programa intersetorial que envolve diversas estruturas do governo.

 

“É importante entendermos que a renda para quem se dedica a integralidade da vida a cuidar das pessoas com deficiência é um elemento fundamental para que possamos garantir a provisão na vida dessas pessoas. Mas o programa Auxílio Cuidar vai muito além da dimensão só dessa renda e desse auxílio. Ele tem a ver com o senso inclusivo, de visitação entre psicólogos que vão fazer todo um ciclo para que essa dimensão humana no cuidado seja dada em parceria com a prefeitura”, disse o prefeito Fabiano Horta, destacando ainda que a cidade vem se tornando cada vez mais inclusiva, impulsionada na direção da reconstrução da estrutura urbana.


O secretário de Políticas Inclusivas, Clauder Peres, disse que esse foi apenas o início de um projeto audacioso e que envolve outras etapas como a visita domiciliar para entender as demandas de cada família. “Quando pensamos no município acessível, pensamos na criação de uma atmosfera em que a pessoa com deficiência não tenha a menor barreira. É criar atmosfera, naturalizar os caminhos, as relações, fazer com que as coisas caminhem com muita naturalidade. Esse é o trabalho que temos e acredito que Maricá começa com chave de ouro e está dando um impulso muito importante nessa perspectiva”, declarou.

 

CEU sedia grande evento inclusivo

Toda a área interna e externa do CEU, às margens da rodovia RJ-106, foi adaptada e se tornou um grande espaço inclusivo para receber o evento ‘A Magia do Cuidar’. O espaço recebeu um jardim sensorial para atividades artísticas, locais para massagem e maquiagem, atendimento jurídico, trocador acessível, área de acolhimento e piscinas de bolas. Foram servidos ainda pipoca, algodão doce e bastante água para o público. Havia ainda uma extensão da Arena Mumbuca para que todos pudessem assistir às falas de forma confortável.

 

Nesses locais, o movimento foi constante durante toda a manhã. Já nas primeiras horas, o casal Douglas dos Santos, de 31 anos, e Danielle Morais de Pinho, de 26, acompanhava os filhos Carina, de 5 anos, e João Valter, de 3 anos, no jardim sensorial. Segundo a mãe, a menina foi diagnosticada com atraso de desenvolvimento global.

 

“Já começamos o tratamento dela e o auxílio vai ajudar muito. Além disso, o espaço aqui está muito bom e organizado”, elogiou Morais ao lado do marido, que reforçou: “Só com o meu salário eu não iria conseguir arcar com a medicação dela. É um tratamento caro e o benefício chegou numa excelente hora”, garantiu Douglas, que mora em Jacaroá.

 

Dentro do espaço de acolhimento havia ainda pufes onde crianças e seus pais podiam descansar na área climatizada, mas a piscina de bolas era a grande atração. Um dos que não saía dela era o pequeno Kaique, de 7 anos, que tem transtorno de espectro autista. A mãe dele, Adriana Antunes, de 42 anos, classificou o local como perfeito para crianças como seu filho: “É disso que a criança precisa. O auxílio vai ajudar muito na medição e na alimentação dele, que também é diferenciada”, contou a moradora do Caxito.

 

Convidados e participações especiais

 

A solenidade foi conduzida pela mestra de cerimônias Tabata Contri, que é cadeirante, atriz, apresentadora e consultora em diversidade, equidade e inclusão. Ao lado de convidados, ela abordou diversas pautas, como emprego, esporte e arte. Entre os convidados, a subsecretária de acessibilidade de Niterói, Simone Capela; o delegado aposentado e membro da Comissão da PcD da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Maricá, Rafael Nunes; o guarda-vidas e professor de surf, Frank Corrêa; o escritor, poeta e ator Omar Coração; e o campeão paratleta de tênis de quadra, Gabriel Mataruna.




 



Comments


bottom of page