Maricá e Detran promovem a campanha Maio Amarelo

Rio de Janeiro, 13/5/2022

Por Redação GBNEWS

Fotos: PMM

“Quanto maior a imprudência, maior o risco”. Este é o tema da campanha “Maio Amarelo” que a Prefeitura de Maricá realiza, de 17 a 25/05, com o objetivo de conscientizar a população e salvar vidas. Para chamar a atenção de moradores e visitantes, ações educativas serão realizadas pela Secretaria de Trânsito e Engenharia Viária na Universidade de Vassouras e no Centro da cidade. As atividades contam com a parceria do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ). Na Universidade de Vassouras, os alunos participam de palestras educativas nos dias 17, 18 e 19/05, nos Campus do Centro e do Flamengo. Para o público em geral, uma blitz educativa será realizada no dia 25/05, a partir das 10h, na Rua Abreu Sodré, no Centro. Campanha em Maricá Em Maricá, a campanha segue a mesma linha utilizada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) com uma conversa direta com a população, trabalhando as mensagens “Juntos salvamos vidas”, e “maior a imprudência, maior o risco”. A palavra “imprudência” foi escolhida justamente por ser ampla e englobar a grande maioria das causas de acidentes de trânsito: o excesso de velocidade, dirigir sob efeito de álcool, não respeitar as leis de trânsito, não usar as setas e entre outras coisas. Enquanto o primeiro faz um alerta chamando para conscientização, o segundo entra como um complemento, convocando a participação da população para se juntar à campanha. Além disso, a Prefeitura tem trabalhado para reduzir o número de carros nas ruas e oferecer mais segurança para a população. Já são 26 km de ciclovias, além da oferta gratuita de ônibus e bicicletas para moradores e turistas. Por outro lado, é importante que a população também colabore cumprindo o seu papel, já que o trânsito é feito por todos e a vida do outro também é responsabilidade de cada um de nós. Dirigir com responsabilidade é fundamental. E a pressa é inimiga da boa direção. “O trânsito infelizmente é uma das coisas que mais matam no mundo e muitas vezes as pessoas não se atentam a isso. É importante que elas tenham acesso aos dados. A maioria dos leitos de hospitais, principalmente na área de ortopedia, é preenchida por vítimas de acidente de carro e disparado o de moto. Infelizmente muitos não sobrevivem e outros ficam com sequelas permanentes. Então, essa campanha chama a atenção para que as pessoas tenham mais consciência no trânsito, que utilizem o capacete, cinto de segurança, que não falem no telefone enquanto dirijam e não misturem álcool com direção”, declarou o secretário de Trânsito e Engenharia Viária, Marcinho da Construção. Segundo ele, os culpados nem sempre são os motoristas. Pedestres e ciclistas também precisam se conscientizar sobre a importância do papel que exercem no trânsito. “Todo motorista também é pedestre em algum aumento. O pedestre tem a preferência, mas ele também precisa obedecer às leis de trânsito, mas eu observo muito no Centro da cidade que algumas pessoas fazem questão de atravessar fora da faixa de pedestre, colocando em risco não só as suas vidas, mas também as dos motoristas. Quando houver um semáforo ou agente de trânsito é necessário que as pessoas aguardem o sinal verde ou a orientação para atravessar, ao invés de se jogar na frente dos carros porque, além do reflexo do motorista, há um tempo de frenagem para o carro parar”, esclareceu o secretário. Agentes de segurança no trânsito

Guardas municipais também são agentes importantes no sistema viário para promover a segurança no trânsito de toda a cidade, auxiliando motoristas e pedestres no cumprimento das leis de trânsito, como não avançar o sinal vermelho e atravessar na faixa de pedestres. A categoria está vinculada à Secretaria de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional (Seop). “Nós temos no Brasil uma realidade muito preocupante. No ano passado, morreram quase 12 mil pessoas e foram registrados quase 650 mil acidentes de trânsito. Muitas pessoas, pais de família, filhos, perderam suas vidas porque falta conscientização e educação. Então, nesse mês de maio, a Guarda Municipal de Maricá e o Proeis estão muito atentos a esse grande mal, que são as mortes por acidentes no trânsito. Nos dedicaremos à conscientização, juntamente com a Secretaria de Trânsito e de outros entes do município e do estado”, afirmou Julio Veras, secretário de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional. Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) confirmam que em 2021 foram registrados 300 acidentes no trânsito da cidade, sendo 32 atropelamentos. Além disso, a Guarda Municipal de Maricá aplicou 8.027 infrações. No 1º trimestre de 2022 já foram aplicadas 2.958 infrações, sendo 78% referentes a não utilização de capacete de segurança e 66% referentes ao estacionamento em passeio público. Movimento “Maio Amarelo” O Movimento Maio Amarelo nasce para chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito de todo o mundo. Foi criada com o objetivo de unir o poder público e a sociedade civil num só propósito: o debate da segurança viária e a elaboração de ações que ajudem a propagar o conhecimento sobre o tema, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas. A escolha do mês de maio foi motivada por uma proposta da Organização das Nações Unidas (ONU) quando decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito em 11 de maio de 2011. Isso fez com que o balanço das ações fosse realizado, no mundo todo, justamente nesse mês. Já a cor amarela foi escolhida por ser a cor da advertência no trânsito. O que diz o Código de Trânsito Brasileiro Se beber não dirija: o artigo 306 do Código Brasileiro de Trânsito determina que conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência é crime. Quem insistir, além de pagar multa e ter suspensa a permissão para dirigir, corre o risco de ser preso. A pena varia de seis meses a três anos. Usar capacete salva vidas: o artigo 244 do Código Brasileiro de Trânsito afirma que conduzir motocicleta, motoneta ou ciclomotor sem usar capacete de segurança ou vestuário de acordo com as normas e as especificações aprovadas pelo Contran é uma infração gravíssima. Além de evitar consequências graves em acidentes de trânsito, o uso do equipamento faz com que o condutor economize dinheiro. Afinal, quem é flagrado sem o equipamento de segurança é obrigado a pagar uma multa, no valor de R$ 293,47. Não é permitido estacionar em calçadas: o artigo 181 VIII do Código Brasileiro de Trânsito. Vagas reservadas às pessoas com deficiência ou idosos devem ser respeitadas. Condutores, sem a credencial que comprova tal condição, cometem infração gravíssima. Por isso, além de ganhar 5 pontos na carteira de habilitação, o infrator é obrigado a pagar multa no valor de R$195,23 e pode ser surpreendido em chegar ao local e não encontrar seu veículo, já que este também pode ser removido. Vale destacar que ao alcançar os 21 pontos no prazo de um ano, os motoristas perdem o direito de dirigir.