top of page

Igor Moraes ganha primeira nota 10 da história do Circuito BB de Surfe em Saquarema

Rio de Janeiro, 21/4/2023

Por João Carvalho

Foto: Daniel Smorigo/213 Sports

Igor Moraes entrou para a história do Circuito Banco do Brasil de Surfe


A Praia de Itaúna mostrou porque é conhecida como o Maracanã do surfe, bombando ondas incríveis, passando dos 2 metros de altura, com séries de 6-10 pés no mar desafiador do sábado de sol e praia cheia para assistir o espetáculo dos surfistas. O paulista Igor Moraes conseguiu um feito inédito, a primeira nota 10 da história do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Depois foram definidas as decisões dos títulos do QS 5000 do Saquarema Surf Festival e ele perdeu nas semifinais, para o argentino Franco Radziunas. Neste domingo (21), serão conhecidos os campeões das seis competições disputadas deste segunda-feira, ao vivo pelo site da WSL.

 

O último dia será iniciado pelas semifinais masculinas do Longboard. Depois começam as finais do Saquarema Surf Festival e a primeira será a da categoria Pro Junior feminina, entre as brasileiras Laura Raupp e Isabelle Nalu e as peruanas Arena Rodriguez Vargas e Kalea Gervasi. A segunda é do Pro Junior masculino, com o local de Saquarema, Rickson Falcão, enfrentando Leo Casal, Cauet Frazão e Lucas Rosario. Depois vem as decisões do Longboard e o título feminino será disputado pelas brasileiras Kate Brandi, Ayllar Cinti, Rayane Amaral e Evelin Neves. Já a masculina ainda será definida.

 

Sábado de ondas grandes na Praia de Itaúna (Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports)

 

As finais do QS 5000 válido pelo Circuito Banco do Brasil de Surfe, foram formadas no sábado de mar desafiador no Maracanã das ondas. Já é certo que novos nomes serão escritos no Troféu Léo Neves, que registra todos os campeões e campeãs da principal competição do Saquarema Surf Festival, realizado pela 213 Sports em memória a Leo Neves com apresentação da Prefeitura de Saquarema. Isto porque será a primeira final entre o catarinense Lucas Vicente e o argentino Franco Radziunas na Praia de Itaúna e a primeira também da peruana Arena Rodriguez Vargas e da Laura Raupp no QS 5000. 


Apesar de ter perdido nas semifinais, o paulista Igor Moraes de São Sebastião, mesma cidade do tricampeão mundial Gabriel Medina e onde cresceram os irmãos Miguel e Samuel Pupo, proporcionou um momento único, que levantou a torcida que encheu o Maracanã do surfe no sábado. Ele já tinha vencido o primeiro confronto do dia e abriu as quartas de final com o também paulista Edgard Groggia, que conseguiu uma nota 8,67 numa onda incrível e somou com o 5,50 da que tinha surfado antes.

 

Igor Moraes ficou precisando de 9,87 para vencer nos minutos finais e pegou uma esquerda gigante. Ele começou com uma rasgada na parede e finalizou com um ataque insano numa junção cavernosa. Igor vibrou quando completou a manobra, ficando em pé na prancha no meio do espumeiro. Os cinco juízes deram nota 10 unânime, a primeira das 10 etapas do Circuito Banco do Brasil de Surfe realizadas desde 2022. Com a nota máxima, Igor Moraes virou o placar para 14,30 a 14,17 pontos do Edgard Groggia. 


“Eu sabia que tinha que ser numa onda gigante, eu só pedi uma onda grande e Deus me enviou. Veio uma menor ali que eu fiquei na dúvida, se ia ou não ia. Faltava pouco tempo, mas vi outra série entrando, eu remei pro fundo, acreditei muito, pedi muito pra Deus uma onda gigante, porque eu precisava de praticamente um 10 e foi incrível”, descreveu Igor Moraes. “O Ed (Edgard Groggia) é um cara que sempre me puxa nas baterias. No ano passado, a gente fez a melhor bateria do Circuito Brasileiro e eu perdi com um 9 e um 7. O moleque é bizarro e estou muito feliz de vencer essa dele. A onda foi aquilo que vocês viram. Eu só pedi uma onda grande, aí fiz a leitura da onda e estou muito feliz de fazer esse primeiro 10”. 

 


Kommentare


bottom of page