top of page

I Seminário Samba & Carnaval de Maricá reuniu mais de 250 pessoas

Rio de Janeiro, 15/12/2022

Por Redação GBNEWS

Fotos: Agência GBNEWS


Fomentando a cultura do Carnaval, uma das manifestações populares mais democráticas, que permite a participação de vários setores da sociedade, a Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar) realizou nesta quarta-feira (14), o I Seminário Samba & Carnaval, no auditório do Banco Mumbuca, no Centro da cidade, com propostas de projetos para empregabilidade na área. O evento contou com o apoio da Liga das Agremiações Carnavalescas de Maricá (LACAM)

Na mesa de abertura, representantes de entidades ligadas à cultura do Carnaval, como a secretária de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, Danielle Barros; o diretor Cultural da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Luiz Carlos Magalhães; o secretário municipal de Cultura, Sady Bianchin; o diretor de Economia Criativa e Sustentabilidade da Codemar, Paulo Neto; a subsecretária de Comunicação, Poliana Oliveira; a presidenta do Banco Mumbuca de Maricá, Manuela Mello; o presidente do Conselho Deliberativo da Liga das Agremiações Carnavalescas de Maricá (Lacam), Alexandre Oliveira; Cristiane Janeiro, viúva do compositor e cantor, Claudinho Guimarães, que foi homenageada; e a diretora do Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, Ana Paula Silva.

Secretário municipal de Cultura Sady Bianchin


“O que está acontecendo aqui hoje é um exercício de cidadania, para construir políticas que valorizam a maior festa da cultura brasileira, que durante o ano inteiro movimenta a economia e o calendário para apresentar este espetáculo que é o Carnaval. Maricá está preparando o terreno para alimentar o Carnaval não só da cidade, como de todo o Rio de Janeiro”, disse Sady Bianchin que representou o prefeito Fabiano Horta (PT).

O presidente da Codemar, Olavo Noleto, que se encontrava em Brasília, através de um vídeo, abriu o evento com uma mensagem de acolhimento a todos os presentes. “É com enorme prazer que realizamos este evento hoje. Queremos perpetuar a cultura do Carnaval em nossa cidade, através do desenvolvimento de Maricá, com a valorização dos grandes artistas e produtores que atuam para que esta grande festa aconteça. Pessoas que sonham e que nos fazem sonhar. Queremos dar nossa pequena contribuição para a construção de um mundo melhor, começando por nossa cidade”, ressaltou Noleto.

Segundo a Secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Danielle Barros, a festa está garantida para o Carnaval 2023. "O Carnaval é o maior espetáculo da terra e tem o compromisso do Governo do Estado de ter investimento não apenas na capital, mas para os 92 municípios. Somente este ano já aportamos cerca de 12 milhões de reais para garantir a folia em 2023. E ter debates como este fortalecem a economia criativa do Carnaval e ajudam na construção de uma política pública de fomento e de apoio aos profissionais do setor, para além dos desfiles", explicou Danielle.


Painéis reforçam debates pertinentes ao tema

Todas as escolas de samba de Maricá prestigiaram o evento


Em pauta, estiveram temas como “O panorama do Carnaval no estado do Rio”, “A importância da indústria do Carnaval para o desenvolvimento de Maricá”, “Ritos e Identidades – A história do Carnaval em uma perspectiva antropológica, social e cultural”, e “O Carnaval como direito à cidade, cidadania e pertencimento – Pluralidade do Carnaval”. “Esse seminário tem o objetivo de reunir todos os atores da cultura e da arte de todos os seguimentos culturais presentes, com o propósito de pensar a Maricá do futuro, que tem como base a arte e a economia criativa, sustentável e solidária”, celebrou o diretor de Economia Criativa da Codemar, Paulo Neto.


Segundo a Superintendente de Economia Criativa da Codemar, Viviane Martins, Maricá conta com 30 blocos de carnaval e a intenção é incluir este seminário no calendário cultural oficial de Maricá, para que anualmente, neste que é o mês em que se celebra o Dia Nacional do Samba, em 2 de dezembro, seja feito este encontro desta classe que é tão atuante e, ao mesmo tempo, precisa ser valorizada.


“Maricá já foi a segunda maior potência do Carnaval no estado e queremos ter um viés de desenvolvimento econômico, cultural e social, fazendo o dinheiro circular em nossa cidade, trazendo fábricas, suprindo o déficit de profissionais de atuação nesta área. Em breve, queremos fazer de Maricá uma grande fábrica de Carnaval, então vamos investir na mão de obra para atuar com a potência da indústria do Carnaval”, enfatizou Viviane.


Atualmente, Maricá conta com a Grêmio Recreativo Escola de Samba União de Maricá (União de Maricá) na Série Bronze, desfilando no Rio de Janeiro, na Intendente Magalhães há 3 anos; e outras sete escolas desfilando em Maricá, sendo quatro no grupo especial (Inocentes de Maricá, Tradição de Maricá, Camisa Azul e Branco, Unidos do Saco das Flores) e três no grupo de acesso (Acadêmicos do Caxito, Flor do Imbassaí e Herdeiros de Maricá).

















コメント


bottom of page