top of page

Estado classifica produtora de Maricá para produzir documentário pela Lei Paulo Gustavo

Rio de Janeiro, 13/11/2023

Por Gilson Barcellos

Foto: Ascom/SICOM

Atriz Maria Júlia, de Maricá, vai interpretar a Imperatriz Leopoldina


Em meio a grandes produtoras, a SICOM – Sistema Integrado de Comunicação e Multimídia do Leste Fluminense, foi classificada pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (Secerj), para produzir o documentário “Raízes – Memórias de Um Povo”. A classificação foi feita por uma comissão da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Estado vai liberar R$ 2 milhões (dois milhões de reais) para a produção do documentário que terá oito episódios. A classificação está publicada na página 65 da edição desta segunda-feira (13) do Diário Oficial do Estado que pode ser conferida no final desta matéria.

Paulo Celestino vem atuando em Maricá nos últimos 40 anos nas áreas de jornalismo e publicidade. No áudio visual deu os primeiros passos assessorando o cineasta Jayme Monjardim no município.


“Estamos preparando toda a documentação para iniciar a pré-produção em fevereiro de 2024 e o início da produção em abril. Inicialmente Raízes vai gerar cerca de 80 empregos diretos e indiretos. Vamos usar mão de obra de Maricá e cidades vizinhas. Vamos também levar atores de teatro para o cinema”, disse ao GBNEWS, o diretor-presidente da SICOM, jornalista Paulo Celestino, responsável também pelo Jornal Gazeta Fluminense e o site gazeta24horasrio, acrescentando que logo após o término das filmagens do documentário que terá oito capítulos, iniciará outro projeto, o longa metragem “Uma Aventura Mágica”, ambos aprovados pela Ancine.


Ao todo, mais de 6500 ações culturais, de 83 municípios diferentes, foram inscritas. Os proponentes concorrem a 1190 vagas, divididas em 19 chamadas públicas, com premiação total de R$ 135 milhões. A listagem final de classificados e selecionados será publicada no dia 23 deste mês e a habilitação para contratação e liberação dos recursos está prevista para acontecer na primeira quinzena de dezembro.

Secretária Danielle Barros em entrevista ao GBNEWS sobre a Lei Paulo Gustavo (foto Sara Celestino)

"O pacote de editais da Paulo Gustavo é um dos mais amplos e democráticos já lançados no Rio de Janeiro. Buscamos valorizar um grande número de segmentos culturais, destacando a representatividade artística das diferentes regiões do estado. Estamos, agora, com o Sistema Desenvolve Cultura aberto para receber os recursos, caso alguém considere necessária a alteração da nota. Queremos garantir oportunidade para que o fomento chegue de forma justa para os melhores candidatos", explicou a secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros. O total de inscritos foi de 6.543 projetos, sendo os editais de Apoio a Obras Audiovisuais (1.677) e de Apoio à Música (1.411) os mais procurados. A operacionalização da Lei Paulo Gustavo no estado do Rio conta com o apoio técnico da Fundação Getúlio Vargas. Sobre o pacote de editais Os editais atendem diferentes linguagens do setor cultural, priorizando o segmento audiovisual, com o objetivo de fomentar a democratização do acesso aos recursos e estimular a cadeia produtiva, incluindo a adesão de segmentos nunca antes contemplados de forma exclusiva. As chamadas voltadas ao audiovisual têm como objetivo atender as demandas de um setor que foi impactado significativamente nos últimos anos, em consequência do período pandêmico. Dentro das propostas elaboradas pela Sececrj, os seguintes formatos de projetos terão oportunidade de premiação: obras e espaços audiovisuais, formação e difusão, memória e preservação, licenciamento, distribuição e jogos eletrônicos. Dentro das outras linguagens, foram abertos editais para a promoção e fomento de 12 diferentes segmentos: conexões urbanas, teatro, dança, circo, música, artes visuais, manifestações tradicionais, bandas e fanfarras, artesanato, arte-educação, HQ e diversidades em diálogo. Sobre a Lei

A Lei Paulo Gustavo marca o maior investimento da história do país para o setor cultural e presta homenagem ao ator e humorista que faleceu no dia 4 de maio de 2021, vítima de Covid-19. Dos R$ 3,8 bilhões disponibilizados, R$ 2 bilhões serão repassados aos estados e R$ 1,8 bilhão devem ser transferidos para o fomento cultural de todos os 5.570 municípios brasileiros. O Rio de Janeiro é a quarta unidade federativa com mais recursos reservados pela LPG. Além dos R$ 139 milhões que serão operacionalizados pelo Governo do Estado, os 92 municípios fluminenses têm o total de R$ 132,1 milhões reservados para execução. Serviço

Commentaires


bottom of page