top of page

Cordeirinho terá a segunda Horta Comunitária de Maricá

Rio de Janeiro, 09/3/2022

Por Redação GBNEWS

Fotos: Clarildo Menezes

Área onde será instalada a horta do bairro Cordeirinho


A pedra fundamental da segunda Horta Pública Comunitária de Maricá foi lançada no bairro Cordeirinho, com 12 lotes numa área de 19 mil metros quadrados, terreno maior que dois campos de futebol com medida oficial. Nesta área serão plantados produtos orgânicos por 12 agricultores permissionários.

Secretário Julio Carolino e o vice-prefeito Diego Zeidan com a planta da Horta Comunitária de Cordeirinho


Segundo o vice-prefeito Diego Zeidan (PT), o objetivo é incentivar cada vez mais a produção de alimentos agroecológicos, sem agrotóxicos e mais saudáveis, para a nossa população. “Além disso, a horta comunitária possibilita geração de renda extra familiar para quem quiser comercializar sua produção", explicou.


O programa destina áreas públicas para cultivo agroecológico pela comunidade, com montoramento de técnicos da Prefeitura. A primeira horta foi criada no bairro Manu Manuela, em março de 2017.


Por enquanto, não há uma data prevista para o início do plantio na Horta Comunitária de Cordeirinho, porque as Secretarias de Economia Solidária e de Agricultura Pecuária e Pesca aguardam a finalização da documentação dos terrenos e dos permissionários.


Troca de experiências

“O pessoal de Cordeirinho fez questão de visitar a horta do Manu Manuela para sanar as dúvidas. Essa troca é fundamental. O principal critério para usufruir a terra é a produção. Se a pessoa não colocar a terra para produzir, cumprindo essa obrigação primária, vai perder o direito de usá-la”, explicou o secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Pesca, vereador licenciado Julio Carolino (PDT).

O secretário de Economia Solidária, Adalton Mendonça, ressaltou que a horta comunitária é um dos projetos que engloba a soberania alimentar. “Parece um pequeno passo, mas faz parte de um grande projeto. Mais à frente, vamos oferecer para mais escolas o que plantamos aqui. O futuro do mundo passa pela alimentação saudável, sem agrotóxico e sem pesticidas”, declarou.

Cerimônia simbólica

Em ato simbólico de instalação da placa da horta comunitária, foram distribuídos kits com calcário, banana desidratada, rama de aipim e sementes de feijões. O programa integra as secretarias de Economia Solidária, Agricultura Pecuária e Pesca, além da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar).

Antes de receber os lotes, de aproximadamente 400m² cada, os permissionários passaram por um curso de capacitação em agroecologia oferecido gratuitamente pela Prefeitura.

População recebe terra para plantio

O permissionário que recebeu o kit de cultivo, José Luis da Silva, de 78 anos, aprova a iniciativa da Prefeitura. “Nasci da terra e quero viver mexendo nela. A iniciativa é ótima porque o custo é zero. Fui no mercado para comprar cheiro-verde e o preço estava altíssimo. Se temos o produto no nosso bairro, por que vamos comprar fora? Pelo contrário, vamos servir a quem não tem”, disse.

Moradora há 10 anos no bairro Guaratiba, a aposentada Aduni Benton, se sente realizada em receber gratuitamente o espaço para plantar. “Esse é um sonho de infância. Sempre falei em comprar um terreno em Bambuí só para plantar couve, alface e cenoura, mas a Prefeitura me deu esse presente ao disponibilizar um terreno para que possamos plantar e ainda revender o excedente, para termos um pouco de renda extra”, destacou.

Praças Agroecológicas

Maricá tem também praças agroecológicas nos bairros Parque Nanci, Araçatiba, Itapeba e Guaratiba. A diferença para as hortas comunitárias é o tamanho. As praças possuem até 36 canteiros, em uma área média de 2 mil m², onde são produzidas hortaliças, legumes, verduras, ervas e frutas. A colheita vai para os próprios moradores.


Comentários


bottom of page