top of page

Cláudio Castro quebra a tradição e mantém Luciano Mattos à frente da PGJ

Rio de Janeiro, 13/01/2023

Por Redação GBNEWS

Foto: Divulgação

A escolha de Castro foi feita a partir da lista tríplice entregue a ele no dia 02/01 e tem base no § 3º do artigo 128 da Constituição Federal que determina que os ministérios públicos dos estados formem a lista dentre integrantes da carreira, para mandato de dois anos, permitida uma recondução. Como tradição, o governador costuma nomear o primeiro colocado da lista tríplice, mas Cláudio Castro (PL) decidiu manter Luciano no cargo, que ficou em segundo lugar.


Luciano Mattos tomará posse, em sessão solene do Órgão Especial, para o período entre 17 de janeiro de 2023 e 16 de janeiro de 2025. Nesse período, Luciano Mattos pretende fortalecer ainda mais a atuação coletiva especializada, permitindo um trabalho estratégico, pautado por metas, indicadores e resultados, auxiliando os órgãos de execução e propiciando a participação cada vez maior dos membros.


Perfil de Luciano Mattos


Procurador-Geral de Justiça desde janeiro de 2021 e reconduzido para o biênio 2023/2025, Luciano Mattos é natural de Niterói, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Passou a infância em Rio Bonito, onde começou a trabalhar aos 15 anos como auxiliar no Cartório de Notas. Voltou para Niterói depois de passar no concurso para agente de procuradoria (nível médio) do MPRJ, onde atuou na Assessoria Criminal na gestão de Antônio Carlos Biscaia como procurador-geral. Em 1994, já formado em Direito, passou no concurso para técnico judiciário. Foi lotado na 28ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça e a seguir no Conselho da Magistratura. É promotor desde 22 de setembro de 1995, após passar no XVIII concurso do MPRJ.


A primeira lotação de Luciano Mattos, ainda como promotor substituto, foi na Vara de Falências da Capital. Logo depois passou pelas promotorias de Volta Redonda, do Fórum Regional de Jacarepaguá, de Itaboraí, Nova Iguaçu, Araruama, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio. Sua primeira titularidade foi em São João da Barra, onde chegou em abril de 1997 e ficou apenas três meses. Voltou a Cabo Frio como promotor cível e, em dezembro de 1998, assumiu como promotor titular de Tutela Coletiva da Costa do Sol (de Saquarema a Quissamã). Depois foi designado coordenador-geral do MPRJ em toda a Costa do Sol (Região dos Lagos).


No Rio, Luciano atuou na Central de Inquéritos, na área de investigação criminal, e na coordenação das promotorias de Tutela Coletiva da capital. Em 2006, assumiu a Promotoria de Tutela Coletiva e Meio Ambiente de Niterói, de onde se afastou, de 2013 a 2018, para presidir a AMPERJ em três mandatos. De volta a Niterói, se licenciou para concorrer às eleições do primeiro mandato como PGJ, que teve início em janeiro de 2021. Com a recondução, Mattos comandará o MPRJ até janeiro de 2025.


コメント


bottom of page