Ciclistas ganham circuito turístico em Niterói

Rio de Janeiro, 09/6/2021

Por Redação GBNEWS

Fotos: Douglas Macedo e Berg Silva


O projeto Niterói BikeTur, um circuito turístico realizado através de totens com sinalização digital (QR Codes), foi lançado em seis pontos. Os equipamentos foram instalados no Caminho Niemeyer, Praça Juscelino Kubitschek e Praça da República, no Centro, Museu de Arte Contemporânea (MAC), na Boa Viagem, Museu de Arte Popular Janete Costa, no Ingá, e no Campo de São Bento, em Icaraí. O percurso é circular com um total de 11 quilômetros, e o ciclista pode começar por qualquer um dos seis totens.

Para participar do circuito, basta o ciclista parar em algum destes pontos, apontar a câmera do celular para o QR Code localizado no totem e ele será direcionado para uma página com um áudio que o guiará por todo o percurso até o próximo totem.


O prefeito Axel Grael (PDT) destacou que esta é mais uma iniciativa para incentivar o uso da bicicleta na cidade e fomentar o turismo. Ele lembra que Niterói conta, atualmente, com 45 quilômetros de malha cicloviária e que, em breve, ganhará mais 60 quilômetros com a implantação de um novo trecho do sistema cicloviário na Região Oceânica. “Essa é uma vocação da cidade. À medida que vamos avançando com a malha cicloviária, fazemos com que a cidade seja ainda mais atraente ao cicloturismo. Nós já temos operadores de turismo que trazem grupos de estrangeiros para pedalar em Niterói. O nosso objetivo é estimular que as pessoas, ao passear, tenham mais informações sobre a cidade e seus equipamentos. É uma excelente iniciativa da Neltur e da Coordenadoria Niterói de Bicicleta, e será expandida para outros lugares, fazendo com que a cidade seja cada vez mais amiga da bicicleta”, enfatizou Axel Grael.

Para o presidente da Niterói Empresa de Turismo e Lazer (Neltur), Paulo Novaes, o BikeTur é uma alternativa que proporcionará aos moradores e turistas mais uma opção de lazer e a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre as belezas e os patrimônios históricos de Niterói. “Houve um investimento muito grande, nos últimos anos, na malha cicloviária da cidade. Em uma nova etapa, essas ciclovias chegarão também à Região Oceânica, que tem um grande potencial turístico. Com essa expansão, a cidade ganhou uma nova alternativa de lazer e turismo, porque as ciclovias e ciclofaixas ficam ao longo de vários equipamentos de turismo, como o MAC, o Museu Janete Costa, as obras do arquiteto Oscar Niemeyer, entre tantos outros atrativos. A bicicleta é uma forma saudável e agradável de percorrer esses locais. Para que as pessoas que não conhecem Niterói pudessem saber mais sobre a história da cidade, criamos os totens, por onde é possível passar de bicicleta, fazer a leitura do QR Code com o celular e ter mais informações. É uma experiência muito interessante”, destacou Paulo Novaes.

PUBLICIDADE

De acordo com o responsável pela Coordenadoria Niterói de Bicicleta, Filipe Simões, o projeto foi criado, inicialmente, em 2016, quando foram realizados tours guiados de bicicleta nos roteiros sugeridos, contando com uma parceria entre a Prefeitura de Niterói através da Coordenadoria Niterói de Bicicleta, a Neltur, e a Faculdade de Turismo da Universidade Federal Fluminense (UFF). Este ano, o projeto foi remodelado e ganhou a versão com o uso dos totens em uma parceria entre a Coordenadoria e a Neltur.

“O Niterói BikeTur é mais um reconhecimento do potencial múltiplo que a bicicleta possui em sua relação com a cidade. Niterói é, cada vez mais, a cidade que pedala ao trabalho, pedala para se exercitar e, também, para conhecer os pontos turísticos da cidade”, afirmou Filipe Simões.


Circuito turístico – Niterói é a segunda cidade do mundo com maior número de obras projetadas pelo arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. Ao parar no totem instalado no Caminho Niemeyer, o visitante recebe informações sobre o conjunto de obras assinadas pelo mestre da arquitetura moderna que a cidade abriga e forma um caminho ao longo da orla da Baía de Guanabara. A primeira delas é o Teatro Popular.


Em seguida, vem a descrição do Memorial Roberto Silveira que abriga o Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense desde 2013. A obra é uma cúpula de concreto que parece emergir do chão. No interior há uma sala de exposições, um anfiteatro para exibições e palestras, e um importante acervo histórico fluminense para consulta pública, com pouco mais de 200 mil obras digitalizadas. Por fim, a Fundação Oscar Niemeyer, uma construção feita sobre um espelho d’água.

A partir deste totem, a próxima parada sugerida é a Praça Juscelino Kubitschek, que está a cerca de dois quilômetros, seguindo pela orla da Baía de Guanabara. Lá é possível encontrar uma estátua em bronze do ex-presidente JK ao lado do arquiteto Oscar Niemeyer, que projetou a praça, e continuar ouvindo um pouco mais sobre a história da cidade. Neste ponto, o visitante também recebe informações sobre aquela região com destaques para o entorno, como a Estação da Cantareira e a Igreja de São Domingos de Gusmão, que representa um marco histórico e arquitetônico para o bairro que herdou o seu nome.


E, mais adiante, está o Centro Petrobras de Cinema, outra obra de Niemeyer. Com o formato de um rolo de filme, o espaço conta com uma infraestrutura interna de serviços, tendo seu complexo dividido em dois blocos: o “Rolo”, que abriga a sala Nelson Pereira dos Santos, o Centro de Memória do Cinema Nacional e o Núcleo de Produção Digital. E o outro bloco, que é administrado pelo Reserva Cultural, com salas de cinema, livraria e restaurantes.


A nova parada sugerida é o símbolo da cidade de Niterói: o Museu de Arte Contemporânea, com sua forma futurista parecendo flutuar sobre o espelho d'água. Neste ponto turístico foi instalado mais um totem com informações da cidade para os ciclistas. Dali é possível fazer uma foto única dos maiores cartões-postais do Rio de Janeiro: o Morro do Pão de Açúcar e o Corcovado, com a estátua do Cristo Redentor, lá no alto.


A entrada no museu é gratuita para ciclistas. Dentro do museu é possível apreciar as mais de 1300 obras de uma das mais importantes coleções de arte contemporânea do país, do artista João Sattamini. Na calçada, há um paraciclo onde é possível deixar a bike.


Para continuar o circuito, apenas a um quilômetro está o Museu Janete Costa de Arte Popular, onde encontra-se mais um totem com informações sobre o espaço cultural e, também, sobre o Solar do Jambeiro, localizado logo à frente e que se mantém preservado em cada detalhe após passar por um grande projeto de restauração, além de dados contando a história do Museu do Ingá, que ocupa o Palácio Nilo Peçanha, antiga sede do Governo do Estado de 1904 a 1975, quando se deu a fusão com o antigo Estado da Guanabara.

Após essa parada, a sugestão é para que o ciclista pedale até o Parque Prefeito Ferraz, conhecido como Campo de São Bento, num trajeto de cerca de três quilômetros, passando pelas praias das Flechas e de Icaraí. Lá encontrará outro totem. O Parque acabou de passar por um projeto de revitalização e abriga espaços como Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, com duas galerias de arte. Outro destaque é o coreto, que foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, em 1985, como marco do romantismo popular de fins do século XIX e início do XX, além claro, do enorme chafariz do parque.


Partindo deste ponto, o ciclista pode pedalar até a Avenida Roberto Silveira, em direção ao Centro, onde chegará até o próximo ponto com mais um totem: a Praça da República, no Centro Cívico da cidade. Na praça está o Monumento Triunfo a República.


O Centro Cívico é constituído também pela Biblioteca Parque de Niterói, que possui um acervo de mais de 60 mil itens, entre livros, revistas, jornais, DVDs, audiolivros e livros em Braille, obras raras e especiais, principalmente sobre a história e cultura do Estado do Rio de Janeiro.


A Câmara Municipal de Niterói, que já foi a Assembleia Legislativa do Estado do Rio também está localizada neste centro, assim como o Liceu Nilo Peçanha que já foi a escola Central; a Sede Regional da Polícia Civil, que já foi o Palácio da Polícia; e o Palácio da Justiça que, atualmente, abriga a Biblioteca Regional do Tribunal de Justiça, o Centro da Memória Judiciária de Niterói e a Associação de Magistrados do Estado do Rio de Janeiro; formando assim um dos mais importantes e célebres conjuntos arquitetônicos do Rio de Janeiro.


Para os ciclistas que decidirem partir deste ponto, basta seguir para o Caminho Niemeyer pela Avenida Amaral Peixoto e acionar o totem para o trajeto