top of page

Cai número de roubos de carros em Niterói

Rio de Janeiro, 11/3/2022

Por Redação GBNEWS

Moradores reconhecem que a segurança melhorou, mas fizeram reivindicações


O número de roubo de carros em Niterói, que chegou a 255 em fevereiro de 2017, caiu para 18 no mês passado, quando também foram registrados 96 roubos e furtos a pedestes, um número bem inferior ao recorde de casos (489) no mesmo mês de 2018. A estatística sobre os índices de criminalidade em Niterói foram apresentados na noite desta quinta-feira aos moradores de São Francisco e Charitas pelo major Abrahão Climaco, coordenador do Segurança Presente na cidade. Houve aumento apenas do roubo a residência, com sete ocorrências, três a mais que em fevereiro de 2021.


Durante a reunião, os moradores reconheceram a melhoria nos índices de segurança, mas pediram mais policiamento na orla de Charitas; mais ação de guardas municipais e agentes de posturas nas praias de Charitas e de São Francisco; e maior fiscalização sobre os flanelinhas que atuam na porta dos supermercados, além da repressão às motos barulhentas que trafegam com escapamento aberto. O major Climaco prometeu reforçar o policiamento na orla de Charitas, muito procurada por banhistas, além de concentrar o maior número de clubes de canoas havaianas do Brasil, a partir deste final de semana.


Segundo o major Climaco, durante o Carnaval, não foi registrado nenhum roubo de carro em NIterói. Em resposta ao morador Roberto Blackman, que reclamou da falta de fiscalização às motos barulhentas, o oficial garantiu que as operações com o Detran para reprimir a infração foram prejudicadas devido à ajuda levada às vítimas das enchentes em Petrópolis, "mas as ações serão retomadas na próxima semana". O trabalho está sendo prejudicado porque o programa Segurança Presente não possui reboque e a Prefeitura de Niterói, ao contrário do que recomendou o Ministério Público, não está atuando na repressão às motos irregulares.


— O Segurança Presente é um sucesso nos bairros, mas estes encontros são importantes para se conhecer os números e se discutir eventuais ajustes no trabalho -- explicou Marinice Machado, vice-presidente do Conselho Comunitário de São Francisco, destacando o trabalho que vem sendo feito pelas assistentes sociais do programa com a população de rua.


Presente ao encontro, o presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Francis Leonardo, prometeu levar ao secretário de Ordem Pública de Niterói, coronel Paulo Henrique, as reclamações sobre a falta de guardas municipais e agentes de posturas nas praias de São Francisco e de Charitas, especialmente nos fins de semana. A comunidade também se queixou da ausência de agentes de trânsito da Nittrans.



Comentários


bottom of page