top of page

Bolsonaristas fazem ato em frente ao Comando Militar do Leste

Rio de Janeiro, 02/11/2022

Por Redação GBNEWS

Foto: Reprodução/Vídeo

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) realizam, na manhã desta quarta-feira (2), um ato antidemocrático em frente ao Comando Militar do Leste (CML), no Centro do Rio. Inconformados com o resultado das urnas, que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva (PT) o novo presidente do país, os bolsonaristas pedem intervenção militar e a anulação das eleições presidenciais. O protesto ocupou a praça em frente ao CML e uma faixa da Avenida Presidente Vargas, principal via da cidade. O ato foi acompanhando por agentes da Guarda Municipal e pela Polícia Militar. Os militantes chegaram ao Palácio Duque de Caxias, sede organizacional das Forças Armadas que abrange Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, por volta das 8h com faixas e cartazes escritos "intervenção militar”, além de bandeiras do Brasil. Aos gritos de "eu autorizo", "Lula ladrão" e entoando hinos militares e religiosos, o grupo protestou sob a chuva fina que cai na cidade.


"Temos o artigo 142, mas sabemos que para ele ser colocado em prática precisaria passar pelo Congresso. O outro lado vai acabar com a gente. Não queremos virar Venezuela. Militares nos ajudem. Todo poder emana do povo", disse uma das organizadoras do protesto.


Um grupo de bolsonaristas também se concentra na Vila Militar de Deodoro, na Zona Oeste. Também vestidos com as cores da bandeira do Brasil, os manifestantes foram orientados pelos organizadores a falar sobre "resistência civil".


Logo após o resultado das urnas ter sido confirmado, militantes bolsonaristas bloquearam rodovias por todo o país, sob a inação da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foi necessário o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar a ação conjunta de policiais militares e ameaçar de prisão o diretor geral da PRF para que as estradas começassem a ser desobstruídas. (O Dia)


Comments


bottom of page