top of page

Após anos de promessas, finalmente as obras avançam na Região Oceânica de Niterói

Rio de Janeiro, 25/3/2022

Por Redação GBNEWS

Fotos: Leonardo Simplício

A rotina de ter que colocar saco plástico nos sapatos para passar na lama ao que tudo indica está acabando na Região Oceânica niteroiense


Depois de uma série de manifestações de moradores que se sentiam abandonados pela Prefeitura, as obras de drenagem e pavimentação nos bairros Serra Grande e Maravista, na Região Oceânica de Niterói, seguem avançando neste ano eleitoral que tem como pré-candidato ao governo do estado um ex-prefeito da cidade e padrinho político do atual.


Das mais de 60 ruas que serão contempladas no projeto, 29 já foram totalmente urbanizadas. Essas intervenções integram o pacote de obras de drenagem e pavimentação para a Região Oceânica, que foi anunciado pela Prefeitura em 2019, e inclui, ainda, o Engenho do Mato, Santo Antônio e Maralegre. São mais de 200 ruas que receberão urbanização com investimento do Município de mais de R$ 200 milhões.


O presidente da Emusa, Paulo Cesar Carrera, conta que a previsão é que todo o trabalho nos bairros Serra Grande e Maravista esteja concluído em oito meses. Para estas intervenções, de acordo com ele, está sendo realizado um investimento de R$52,6 milhões, 26% a menos do que o valor anunciado antes do processo licitatório.

"A Região Oceânica vive uma nova fase com a realização de projetos que eram esperados há décadas, como as obras de drenagem e pavimentação. Estamos tirando obras importantes do papel com muito planejamento, o que reflete em mais qualidade de vida para a população e, também, na valorização dos imóveis”, diz Carrera.

Investimentos – Desde 2013, a gestão municipal já investiu mais de R$ 350 milhões em obras de drenagem, macrodrenagem e pavimentação. Foram drenados e pavimentados o Cafubá, a Fazendinha, o Bairro Peixoto, o Boa Vista, e parte de Piratininga e Camboinhas. São mais de 150 ruas com obras executadas. Também foram entregues as obras da Avenida Professora Romanda Gonçalves, no Engenho do Mato, e a macrodrenagem de Itaipu e Piratininga, entre a Estrada Francisco da Cruz Nunes e a Avenida Almirante Tamandaré.




Comentários


bottom of page