Setor de produtos de metal puxa criação de empregos em Nova Friburgo

As indústrias que atuam no setor de produtos de metal em Nova Friburgo criaram 349 postos de trabalho entre os meses de julho e agosto. O número é mais do que o dobro das vagas que foram fechadas no setor entre março e junho (-137), meses mais afetados pela pandemia do coronavírus e pelas incertezas em relação à economia. Os dados estão na plataforma Retratos Regionais da Firjan, que traz mensalmente recorte setorial e regional do mercado de trabalho fluminense.

                                     Indústrias de metal na suíça brasileira estão aquecidas (foto Vinícius Magalhães/Firjan)

 

O setor vem desempenhando papel fundamental na retomada da economia do Estado do Rio. O Indicador de Retomada de Emprego mostra que desde julho, 92,4% das 1.148 vagas perdidas entre março e junho, já foram recuperadas em todo o Estado. Em termos de vagas geradas, o setor fica atrás apenas da Construção Civil que criou mais de 4 mil postos de trabalho em dois meses.

 

“O Indicador de Retomada de 254,7% mostra que a indústria de produtos de metal de Nova Friburgo já superou o número de vagas perdidas no pior momento da pandemia e cria novos empregos para atender a demanda. Isso sugere que o isolamento social fez com que pedidos fossem cancelados ou adiados, o que agora reflete no aumento de produção das empresas”, diz o especialista de Estudos Econômicos, Marcio Afonso.

 

É o caso da Haga, empresa de que produz cadeados e maçanetas, onde 32 vagas foram abertas nos últimos meses. “Registramos um aumento de demanda além do esperado e, por isso, foi necessário contratar mais trabalhadores. A empresa está em regime de 24/7 e a previsão é de que os bons resultados se mantenham nos próximos meses”, explica o diretor José Luiz Abicalil.

 

Na região Centro-Norte, o saldo geral de empregos em agosto foi 229 vagas criadas no mês, mantendo evolução já vista nos últimos meses. Dentre os doze municípios que compõe a região, além de Nova Friburgo, somente quatro tiveram saldo positivo na criação de vagas: Cordeiro, Carmo, Duas Barras e São Sebastião do Alto. O Comércio teve saldo de +2 vagas e os setores de Agropecuária (-7) e Serviços (-54) registraram mais demissões do que contratações.

 

No total, incluindo todos os setores econômicos, o estado do Rio abriu em agosto 5.645 vagas, com saldo positivo em 63 dos 92 municípios.

 

O comércio abriu 2.120 vagas e recuperou, nos meses de julho e agosto, 6,4% do que foi perdido no período mais afetado pela pandemia. Já o setor de serviços perdeu 732 postos de trabalho em agosto e ainda não iniciou o processo de retomada das contratações. A agropecuária não perdeu vagas entre março e junho, mas teve resultado negativo em julho e agosto.

Plataforma Retratos Regionais

 

A plataforma Retratos Regionais tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais. 

 

Em painel regional, que também permite a busca por município, é apresentado o cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores. Neste mês, também é disponibilizado Indicador de Retomada dos Empregos. A plataforma pode ser acessada através deste link: www.firjan.com.br/retratosregionais.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino