Festa na Favela! Polícia Federal no Palácio Guanabara


Um locutor global tem o hábito de gritar festa na favela! quando o gol é do Flamengo. Nesta sexta-feira (28), a Festa na Favela é no Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro, com mais uma ação da Polícia Federal.

Palácio Guanabara sede do governo e da corrupção do Estado do Rio de Janeiro

Servidores mais antigos certamente estão comemorando o afastamento do governador Wilson Witzel (PSC) por 180 dias e, principalmente, a prisão do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão.

Ex-aluno de Witzel, Tristão quando chegou no Palácio Guanabara mostrou toda a sua arrogância, falta de respeito e pouco caso com os funcionários mais antigos e experientes na administração pública.

Simplesmente, num ato de humilhação reduziu a gratificação de R$ 2 mil a R$ 3 mil para a bagatela de R$ 500 dizendo que era pegar ou largar, ou seja, desemprego ou retorno ao órgão de origem. Com isso, os jovens mauricinhos e patricinhas capixabas, amiguinhos de Tristão e Witzel, sem qualquer experiência, era nomeados com salários de R$ 10 mil a R$ 15 mil. No andar da carruagem, a barca de retorno ao Espírito Santo deverá deixar o Rio lotada nos próximos dias.

Ex-servidores e os atuais sobreviventes com certeza estão comemorando a ação da Polícia Federal que investiga a corrupção que se perpetua no governo do Estado, principalmente na Secretaria de Saúde, que tinha o comando do pastor Everaldo, presidente nacional do PSC que já foi preso e está na sede da Polícia Federal no Centro do Rio.

Claudio Castro e Wilson Witzel

O vice Claudio Castro (PSC) afilhado político de Everaldo, assume o governo embora também seja alvo de busca e apreensão na sua casa e no gabinete. Na linha sucessória, está o presidente da ALERJ, deputado estadual petista André Caciliano, que é alvo de busca e apreensão. O governo pelo andar da carruagem vai cair nas mãos do presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio. Na bolsa de apostas, a prisão do ex-juiz federal e governador afastado Wilson Witzel, que sonhava ser presidente da República, é questão de tempo.

Para terminar, há informações de que alguns municípios fluminenses também serão alvos da Polícia Federal. É a pandemia do coronavírus propagando a pandemia da corrupção na saúde que ainda não tem uma vacina eficaz.