Niterói inicia testes da vacina contra Covid-19 em voluntários

Os primeiros profissionais de saúde voluntários começaram a participar dos testes de uma vacina contra a Covid-19 em Niterói. Através de uma parceria entre a Prefeitura, o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que coordena o estudo inédito no estado do Rio, a vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac Biotech, passa por ensaio clínico que irá avaliar a eficácia e a segurança da substância contra o novo coronavírus. Cerca de 800 pessoas já se cadastraram para participar da iniciativa e as inscrições permanecem abertas.

                                                                                                                                                                                               (fotos Douglas Macedo)

 

“Desde o início da pandemia, implantamos as medidas e projetos com base na ciência e nas melhores experiências internacionais para deter o avanço da Covid-19 em nossa cidade. Essas ações, como sanitização de comunidades, programas de auxílio à população em vulnerabilidade social, apoio às empresas, testagem massiva e construção do Hospital Oceânico, em conjunto com a conscientização da população, têm nos permitido vencer a batalha contra o coronavírus”, destaca o prefeito Rodrigo Neves (PDT).

 

“Niterói está na vanguarda, participando desse esforço da comunidade científica para a descoberta de uma vacina eficaz e segura contra a Covid-19. Hoje Niterói tem a menor taxa de letalidade da região metropolitana, menor taxa de ocupação de leitos e a pandemia sob controle”, acrescentou o prefeito.

 

Niterói é a única cidade do Estado do Rio de Janeiro a participar do estudo, que tem outros 11 centros distribuídos pelo País. A CoronaVac será testada em nove mil voluntários no Brasil e destes, cerca de 850 serão da cidade.

 

“Participar desse projeto é muito gratificante para o município, que está contribuindo para o avanço científico. Desde o início da pandemia Niterói tomou medidas importantes de combate ao novo coronavírus. Acreditamos que em breve teremos bons resultados da pesquisa”, afirma o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira.

 

Uma das voluntárias em Niterói, a médica geriatra Marcelle Bastos trabalha na rede privada na cidade.

 

“Fiz o teste rápido de Covid-19, o PCR e o exame de sangue e recebi a primeira dose da vacina. Vou passar por um acompanhamento para verificar a eficácia da vacina. Espero poder ajudar a população que está precisando muito dessa vacina. A expectativa é que que ela seja segura e eficaz”, explica.

 

O anestesista Raphael Bastos também está participando do estudo. Ele recebeu a primeira dose da imunização.

 

“Acho muito importante contribuir para esse avanço da ciência. Agradeço à Prefeitura, à Fiocruz e ao Butantan pela iniciativa que pode salvar milhares de vidas. É a chance de erradicar essa moléstia”, disse.

 

De acordo com o Instituto Butantan, a vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Sinovac é uma das mais promissoras porque utiliza tecnologia já conhecida e amplamente aplicada em outras vacinas. O laboratório já realizou testes do produto em cerca de mil voluntários nas fases 1 e 2. Antes, o modelo experimental aplicado em macacos apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra as proteínas do vírus.

 

Caso a vacina seja aprovada, a Sinovac e o Butantan vão firmar acordo de transferência de tecnologia para produção em escala industrial para fornecimento gratuito ao Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Inscrição – Os profissionais de saúde que pretendem ser voluntários não podem ter sofrido infecção provocada pelo novo coronavírus, não devem participar de outros estudos e não podem estar grávidas ou planejarem uma gravidez nos próximos três meses. Outra restrição é que não tenham doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune.

Os interessados podem enviar e-mail para vacinacovid19vitalbrasil@gmail.com com o nome completo, um telefone para contato, ocupação e instituição. Vale ressaltar que, posteriormente, será necessário apresentar registro profissional e crachá da instituição na qual trabalha. A Secretaria Municipal de Saúde é a responsável pelo recrutamento, coleta de dados e amostras biológicas.

 

Os voluntários passarão por entrevistas e avaliações médicas e, caso concordem com os termos do estudo, receberão duas doses da vacina, com 14 dias de intervalo, e serão monitorados pelos pesquisadores por um ano para análise dos resultados sobre a eficácia da vacina e também sobre a existência ou não de possíveis reações adversas.

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino