Covid-19: Maricá mostra ao Estado como combater a pandemia


Enquanto o Estado vive momentos turbulentos envolvido em suspeitas de corrupção e formação de quadrilha na Secretaria de Saúde, com ex-secretário preso e outros membros também da saúde encarcerados, a cidade de Maricá vai fazendo o dever de casa com o número de infectados pelo coronavírus diminuindo.

O Estado Rio de Janeiro registra até a noite desta segunda-feira (20), 12.161 óbitos por coronavírus. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde foram confirmados 141.005 casos e 118.298 pessoas se recuperaram da doença.

Apesar dos números altos e não respeitando decisão judicial, o governo de Wilson Witzel (PSC) transferiu para outros hospitais todos os pacientes internados nos hospitais de campanha no Maracanã e de São Gonçalo. Os outros cinco hospitais que estavam sendo montados em vários pontos do estado estão paralisados e transformados em verdadeiros elefantes brancos.

Em Maricá, Região Metropolitana, o cenário é bem diferente. O prefeito Fabiano Horta (PT) inaugurou o Hospital Municipal Che Guevara, em São José do Imbassaí que neste primeiro momento atende somente casos de coronavírus. O outro hospital municipal, Conde Modesto Leal, no Centro, também tem um setor exclusivo para tratar dos infectados.

No início da pandemia do coronavírus, a prefeitura inaugurou três polos de atendimento, no Centro, Itaipuaçu e Ponta Negra. Como o número de casos está diminuindo na cidade, o de Ponta Negra foi desativado nos últimos dias.

Maricá tem uma população em torno de 160 mil habitantes e registra também até a noite de segunda-feira, 1.859 casos confirmados, 1.691 pacientes curados da doença e 64 óbitos.