Greve dos vigilantes bancários fracassa em São Gonçalo, Niterói, Maricá e Itaboraí


A greve dos vigilantes bancários que teria início nesta segunda-feira (20) não aconteceu em algumas cidades da Região Metropolitana. A justiça determinou que pelo menos 70% dos vigilantes teriam que estar nos pontos de trabalho conforme determina a lei.

Segundo o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói e região (SVNIT), Claudio Oliveira, anteriormente a justiça determinava que pelo menos 30% dos vigilantes deveriam trabalhar no período de greve, ficando um em cada agência bancária. “Um desembargador mudou a regra do jogo e agora com dois vigilantes em cada agência, os bancos funcionam normalmente”, disse o sindicalista.

Os vigilantes bancários reivindicam melhores condições de trabalho, reajuste salarial e do ticket alimentação. As negociações com os patrões começaram em janeiro, mas sem sucesso. Com o fracasso da greve, os trabalhadores buscarão outras formas para conquistar os benefícios desejados como recorrer à justiça, estabelecer dissídio coletivo etc.

O movimento não obteve sucesso em Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí, mas acontece nos demais municípios fluminenses.