Vinicius Farah quer intervenção de ministério para impedir reajuste de pedágio na BR-040

Prejuízos à economia somam R$ 1,6 bilhão com estrada deficiente

                                            BR-040 trecho Rio-Juiz de Fora em péssimas condições segundo Farah

 

O deputado federal Vinícius Farah está encaminhando à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) manifestação contrária ao rejuste de pedágio da BR-040 entre Rio e Juiz de Fora trecho administrado pela Concer. O Ministério da Infraestrutura também vai ser acionado pelo parlamentar para que intervenha e suspenda qualquer índice de reajuste proposto pela concessionária. Com contrato vencendo em abril do ano que vem e sem ter concluído a nova pista de subida da serra, a concessionária acumula reclamações de má conservação das pistas atuais e entrave ao desenvolvimento da região. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 2013 a 2021, os prejuízos financeiros decorrentes da falta de melhorias na rodovia serão de R$ 1,6 bilhão.

 

“Em Brasília estou mobilizando a bancada do Rio de Janeiro para que se posicione não apenas na questão do pedágio, mas bem como no processo em que o governo federal, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), assumirá a estrada até que haja uma nova licitação”, afirma Farah apontando que o petropolitano é o maior prejudicado porque trafega no pior trecho, na serra, e paga R$ 11,60 para circular em 20 quilômetros, a segunda tarifa mais alta do país em proporção à distância percorrida.

 

“Municípios de todo o trecho até Juiz de Fora como Três Rios, Areal e Levy Gasparian são prejudicados com valor absurdo de pedágio e tudo o que acontece na serra reflete em todas estas cidades. Então, engarrafamentos por acidentes que ocorrem na subida da serra têm impacto nas outras cidades, por exemplo. É maior gasto de combustível, atraso em entregas, toda uma logística prejudicada”, afirma Vinicius Farah.

 

O pedido de reajuste anual, previsto em contrato, foi feito no início do mês. A ANTT tem até o final de julho para definir se concede revisão da tarifa.  Em outubro de 2018 o preço foi reduzido de R$ 12,40 para R$ 10,80 após decisão cautelar do juiz Fábio Brandão, da 1ª Vara Federal de Petrópolis que determinava que a União e a ANTT não autorizassem aumentos na tarifa. A justiça levou em conta a não execução de investimentos na rodovia e em acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontaram irregularidades nas obras da Nova Subida da Serra. Dois meses depois, houve um reajuste de 7,52%, elevando o preço para R$ 11,60 - tarifa que vigora hoje

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino