Deputados Dr. Serginho e Filippe Poubel denunciam falta de transparência da Prefeitura de Cabo Frio


Deputados Dr. Serginho e Filippe Poubel

denunciam falta de transparência da Prefeitura de Cabo Frio

Dr. Serginho e Filippe Poubel fiscalizam a saúde de Cabo Frio (fotos divulgação)

Durante fiscalização da Frente Parlamentar de acompanhamento às medidas de prevenção e contenção do coronavírus nos municípios do Estado do Rio de Janeiro, o secretário de Saúde de Cabo Frio, Iranildo Campos, admitiu aos deputados estaduais Filippe Poubel (PSL) e Dr. Serginho (Republicanos) que o município pode dar um calote ao Hospital Unilagos, unidade particular que tem prestado atendimento aos pacientes da Covid-19. O Ministério Público está de olho em outros municípios e o vídeo da fiscalização está no final da reportagem.

“Eu acredito”, afirmou Iranildo Campos ao ser questionado pelos deputados sobre a possibilidade de a prefeitura não efetuar o pagamento pelos serviços.

Os deputados criticam a falta de transparência em relação ao contrato firmado entre a prefeitura e o Hospital Unilagos. Não há informações no portal da transparência do município. Segundo Dr. Serginho, há dois meses a prefeitura foi oficiada, mas até o momento não informou o valor contratual e a forma de pagamento.

Poubel e Serginho falam com a imprensa da Região dos Lagos

“Essa obscuridade é lamentável. Uma análise de economicidade seria fundamental até para saber se não seria melhor equipar outras unidades de saúde”, criticou Dr. Serginho, que entrou com ação judicial em busca de esclarecimentos.

“Essa falta de transparência pode atrasar a chegada de respiradores ao município”, alertou o presidente da frente parlamentar, deputado Filippe Poubel. “Vamos fiscalizar todo dinheiro enviado pelo estado, não podemos admitir nem compactuar com falta de transparência”, concluiu Poubel.

Os parlamentares elogiaram o trabalho das equipes hospitalares em meio à pandemia, e obtiveram resposta do secretário municipal de Saúde sobre a falta de atendimento emergencial em Tamoios e Unamar. Iranildo Campos informou que dentro de um mês equipes médicas já estarão disponíveis para ambulâncias na região, e seu prazo de dois meses para a instalação de um tomógrafo.

Investigação - As suspeitas de fraudes no uso de recursos para combate à pandemia Covid-19 em cidades do Estado do Rio levaram a Assembleia Legislativa (Alerj) a implantar mais um mecanismo de investigação. A Frente Parlamentar de acompanhamento às medidas de prevenção e contenção do coronavírus foi publicada no dia 18 de junho em Diário Oficial.

Objetivo dos parlamentares também é fiscalizar a execução do repasse da verba doada pela Alerj à Secretaria Estadual de Saúde para auxiliar o enfrentamento ao coronavírus nos municípios fluminenses. Cerca de R$ 1 milhão foram repassados pela Alerj a cada um dos municípios, totalizando R$ 100 milhões.

O Ministério Público estadual já investiga denúncias do mau uso de recursos em alguns municípios, entre eles Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra e Maricá.

O vídeo da fiscalização está no link: https://www.facebook.com/228232064461375/posts/635422153742362/?vh=e&d=n