Autoridades Portuária e Marítima pedem colaboração de pequenas embarcações na Baía de Guanabara

Pescadores, velejadores e navegantes em geral

devem redobrar a atenção para a entrada e saída

de navios mercantes pelo Canal de Cotunduba

                                                                                 Balizamento do Canal de Cotunduba (fotos Bruno Cesar Alves)

Recentemente, navios de grande porte passaram a utilizar, no período noturno, o Canal de Cotunduba, principal acesso ao Porto do Rio de Janeiro, que ganhou nova sinalização náutica. A segunda fase de manobras noturnas experimentais (“ramp up”), com navios de 286 a 306 metros, deverá ser iniciada em cerca de dez dias. Com isso, a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), a Capitania dos Portos do Rio de Janeiro (CPRJ) e a Praticagem RJ uniram esforços para conscientizar pescadores, velejadores e navegantes de pequenas embarcações, em geral, para que deixem livre a via de navegação popularmente conhecida como “Canal Varrido” e que redobrem a atenção no intuito de evitar acidentes.

 

Durante a primeira fase do “ramp up”, foram realizadas quatro manobras noturnas experimentais ao longo dos meses de abril e maio. Nesse período, em trabalho conjunto, lanchas da CDRJ e da CPRJ fizeram a varredura do canal, contabilizando cerca de 90 abordagens a pequenas embarcações, a fim de esclarecer a necessidade de se retirarem do local.

 “Estamos atuando em conjunto com a Autoridade Marítima para a segurança de todos e é fundamental que os pescadores, tripulantes de lanchas e velejadores colaborem com as equipes, deixando o canal livre para a entrada e saída de navios”, ressaltou o diretor-presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira.

 

Os procedimentos operacionais têm apoio das empresas arrendatárias dos terminais MultiRio, ICTSI e Triunfo Logística do Porto do Rio de Janeiro, que disponibilizaram lanchas e equipamentos para a varredura. Além de ter comunicação direta com a CDRJ e com a Capitania dos Portos, as lanchas também interagem com a Praticagem RJ, responsável pela condução dos navios nas manobras. “Cada detalhe dessa ação coordenada é levado em consideração pelas equipes para que o desempenho das manobras seja seguro e eficiente”, explicou o Comandante Luiz Antonio Raymundo da Silva, membro do Conselho Técnico da Praticagem RJ.

Também com o objetivo de minimizar riscos e proteger os usuários, a Capitania dos Portos passou a divulgar um alerta aos navegantes e um vídeo entre as comunidades de pesca e entidades náuticas.

 

Segundo o Capitão dos Portos, Ricardo Jaques Ferreira, "o uso das mídias sociais levou a informação a diversos navegantes. Respeitar as regras de navegação é essencial para que pescadores, velejadores, amadores e os navios de grande porte convivam em segurança."

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino