Caso Marielle: preso suspeito de obstruir as investigações dos assassinatos


Foi preso no início da manhã desta quarta-feira (10), numa mansão de três andares no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, o sargento do Corpo de Bombeiros Militar, Maxwell Corrêa, o Suel.

Suel (de camisa branca) foi preso na mansão do Recreio (foto reprodução/TV)

Suel é suspeito de obstruir as investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Ele é apontado como responsável por ajudar a jogar as armas do policial reformado Ronnie Lessa no mar.

Na porta da residência, num condomínio de luxo, avaliada em R$ 1,9 milhão, foi apreendida uma BMW X6 de pelo menos R$ 170 mil.

O Ministério Público do RJ afirma que Suel "atrapalhou de maneira deliberada" as investigações sobre o atentado contra Marielle.

Sargento Suel (foto/reprodução)

Ainda segundo a força-tarefa, Suel é braço direito de Ronnie Lessa, apontado como o autor dos disparos no atentado.

"São pessoas extremamente ligadas, tanto na vida do crime quanto na vida social", afirmou o delegado Daniel Rosa.

Ronnie e Elcio de Queiroz -- suspeito de dirigir o carro que perseguiu Marielle -- estão presos desde março de 2019.