Procon/Petrópolis cobra esclarecimentos após atraso em entregas dos Correios

 

Uma série de denúncias sobre atrasos de entregas de encomendas pelos Correios, nesta última semana, levou o Procon/Petrópolis-RJ até a central de distribuição, localizada no bairro Mosela, para buscar esclarecimentos e soluções para que os consumidores não sejam prejudicados. O órgão de defesa do consumidor foi informado pela gerência da unidade que os atrasos são consequência da redução do quadro de funcionários, afastados por ser grupo de risco da Covid-19. Serviços como o PAC e as entregas internacionais são os mais prejudicados. O Procon/Petrópolis-RJ recomendou aos Correios que priorize e cumpra os prazos de entrega de produto essenciais, como medicamentos por exemplo

 

Na apuração feita pela própria coordenadora do Procon/Petrópolis-RJ, Raquel Motta, na central de distribuição, desde o dia 14 de março, a unidade de Petrópolis não tem recebido as encomendas de PAC e com siglas de rastreamento iniciadas em “L” (produtos internacionais).

 

“Segundo o gerente, essas encomendas estão retidas na Central de distribuição em Benfica, na cidade do Rio de Janeiro, aonde chegam todas as encomendas que são redistribuídas para todo o Estado. Ele ainda informou que funcionários à cima dos 60 anos e com comorbidades foram afastados, em função de ser grupo de risco do Coronavírus”, destaca a coordenadora do órgão de defesa do consumidor.

 

As denúncias de atrasos nas entregas, no entanto, são anteriores à pandemia.

 

“Antes, o Procon/Petrópolis-RJ já vinha registrando reclamações de boletos que não estão chegando até as casas dos consumidores. Principalmente, os mais idosos. E isso dificulta a situação das pessoas que não dispõem ou não sabem utilizar meios eletrônicos para retirarem os boletos de pagamentos. É preciso que os Correios observem também a necessidade dessas pessoas e as atendam”, completa Raquel Motta.

 

Como forma de garantir o direito dos consumidores, prejudicados com a dificuldade dos Correios de prestar os serviços, em função das condições impostas pela pandemia, a coordenadora do órgão de defesa do consumidor recomendou à gerência da central de distribuição de Petrópolis que as encomendas de produtos essenciais (especialmente medicamentos) sejam entregues. 

 

“Estabelecemos um acordo com o gerente, em relação às reclamações já registradas de medicamentos, que não haviam sido entregues. As encomendas recebidas pela central, até aquele momento, serão encaminhas para as agências dos correios mais próximas das residências dos consumidores”, informa a coordenadora do Procon/Petrópolis-RJ.

 

O órgão de defesa do consumidor informa que está recebendo todas as denúncias referentes a atrasos na entrega de boletos e encomendas, e encaminhando à gerência de operações, bem como a superintendência estadual de operações dos Correios. E ainda está solicitando às agências que tomem medidas para que os consumidores tenham garantidos o direito de recebimento em tempo suficiente para que não sejam lesados em seus direitos.

 

“Em tempos de pandemia, a recomendação é que os consumidores fiquem em casa e que as compras sejam realizadas por sites, aplicativos ou até mesmo por redes sociais. Por isso, os Correios têm papel fundamental na entrega dos produtos. Garantindo que as pessoas a recebam os produtos e evitem sair de casa. O atraso, comprovado o dano, caberá aos Correios indenizar o consumidor”, esclarece Raquel Motta.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino