Coronavírus: máscaras artesanais reutilizáveis podem substituir as descartáveis

A polêmica gerada pela escassez de máscaras descartáveis à venda nas farmácias está levando prefeitos de várias cidades a fazer parcerias com indústrias têxtil, comércio em geral, escolas de samba e costureiras autônomas. O objetivo é a confecção de máscaras artesanais reutilizáveis, fabricadas em tecido, que se tornaram alternativa para acrescentar uma barreira mecânica à propagação do coronavírus, até com temas de descontração para enfrentar essa pandemia.

Em Niterói, costureiras da Viradouro, escola de samba campeã do Carnaval 2020 do Rio de Janeiro, estão confeccionando e distribuindo gratuitamente máscaras para a comunidade. A Prefeitura em parceria com a indústria têxtil da cidade fez parceria e está distribuindo cerca de um milhão de máscaras para a população local.

 

Nova Friburgo, na Região Serrana fluminense, também está distribuindo gratuitamente máscaras para a população. Lá, como em Niterói, esta iniciativa une empresários do polo têxtil e de moda íntima da cidade e já distribuiu mais de 40 mil peças e conta com o apoio da Cruz Vermelha.

Outros municípios do Estado do Rio de Janeiro poderiam tomar essa iniciativa, como por exemplo Maricá, que tem uma população estimada em apenas 160 mil habitantes. Essa cidade do litoral fluminense que vem mostrando que desenvolve ações sociais eficientes, sem medir esforços para conter o coronavírus, poderia fechar uma parceria com o comércio e com as costureiras locais que estão em busca de emprego temporário. Fica aqui uma sugestão do GBNEWS para municípios como Petrópolis, Teresópolis, Cabo Frio, Búzios, Angra dos Reis, Resende, São Gonçalo etc. No Rio, os cariocas tomaram a iniciativa sem precisar da interferência da prefeitura.

 

Para terminar o sistema penitenciário do Estado do Rio de Janeiro poderia dar uma ocupação aos presidiários e presidiárias seguindo o exemplo do Espírito Santo.

Máscaras em tecido para prevenção contra o coronavírus, recomendadas para pessoas não infectadas, estão sendo confeccionadas por presos do Centro Prisional Feminino de Colatina e do Centro de Detenção Provisória de Aracruz, no interior do Espírito Santo.

Em Colatina, a direção tomou a iniciativa de confeccionar máscaras e de distribuir kits de higiene pessoal para servidores. Mais de 60 servidores foram contemplados e a produção continua para ofertar à equipe de outros presídios.

Para terminar, no final da tarde desta quinta-feira (09), o Ministério da Saúde divulgou que o país tem 17.857 casos de coronavírus contra os 15.927 de ontem e que o número de óbitos chega a 941 18% a mais desta quarta-feira(08), que registrava 800 mortes.

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino