Coronavírus na campanha pré-eleitoral


As principais dicas para se prevenir do coronavírus é evitar abraços, beijinhos, cumprimentos, bate-papo com muitas pessoas ao mesmo tempo e frequentar lugares fechados. Essas e outras ações vão contra ao que os nossos políticos gostam de fazer na busca desesperadora pelo voto, principalmente nas áreas mais carentes.

Apertem os cintos: coronavírus e tensão na política

Aí eu pergunto: como os políticos, principalmente àqueles que buscam os votos em comunidades mais humildes farão? Afinal de contas, alguns além de manter o voto de cabresto com sanduiches de mortadela, gostam de ir nas comunidades para pegar no colo criancinhas com o nariz escorrendo, tomar cafezinho, beijar a eleitora, abraçar fortemente os eleitores como se fossem íntimos e por aí vai. Depois de eleitos, a conversa é outra.

Já para os políticos esnobes, preconceituosos, aqueles de nariz empinado, o coronavírus deve ter chegado em boa hora. Afinal de contas terá uma boa desculpa para evitar os contatos mais próximos. Distante pelo menos um metro do seu possível futuro eleitor, o almofadinha pedirá o voto.

Como a previsão é de que tudo volte a normalidade num prazo de 30 dias, muitos dos nossos futuros prefeitos e vereadores ficam fazendo a pré-campanha eleitoral pela internet. Aliás, durante todo o mandato a maioria não fez nada, não apareceu para nada e agora, meses antes da eleição, estão invadindo as redes sociais com discursos vazios e mentirosos. O eleitor está só de olho e quem sabe, dispensar o sanduiche de mortadela, não vender seu voto e resgatar a dignidade.

Para terminar, o uso da máscara é para quem tem suspeita ou está com coronavírus.