Maricá paga abono natalino dos servidores e beneficiários com a moeda social Mumbuca

Enquanto prefeituras como a do Rio de Janeiro vão enfrentando uma crise sem precedentes, com salários atrasados e pagamento do 13º sem previsão, o cenário em Maricá, Região Metropolitana do Rio, é bem diferente

                                  Prefeito Fabiano Horta disse que a mumbuca ainda não atingiu todo o seu potencial (divulgação)

 

Mais de R$ 5 milhões injetados na economia local em dezembro: este é o resultado do esforço conjunto feito pelas secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Economia Solidária de Maricá, que viabilizaram o pagamento de um abono natalino a todos os beneficiários do programa Mumbuca, e também aos mais de sete mil servidores municipais e da Câmara Municipal.

 

O abono de 130 mumbucas – mesmo valor pago mensalmente aos beneficiários do programa – será pago até a próxima segunda-feira (23), conforme anunciou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Igor Sardinha, nesta quarta-feira (18), em reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico.

                                                                                                                                                                                  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O diferencial deste abono é ser pago em mumbucas, que serão 100% gastas no município, o que significa mais renda e mais empregos: nos últimos 12 meses, foram abertas mais de duas mil novas vagas, o melhor resultado do estado entre cidades com mais de 100 mil habitantes”, ressaltou Sardinha.

 

O secretário de Economia Solidária, Diego Zeidan, afirmou que o número de beneficiários do programa Mumbuca chegou a cerca de 40 mil, após o último cadastramento realizado pela pasta, e mais de 2.800 empreendimentos estão habilitados a operar com a moeda social. Segundo Zeidan, um esforço extra será feito para antecipar o benefício de janeiro para a última semana de dezembro, o que representa mais um incremento na economia do município.

                                                                                                                                                                        CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Encerrando a reunião, o prefeito Fabiano Horta (PT) destacou que o Mumbuca não é mais um programa social, mas sim um instrumento de inclusão e desenvolvimento. Horta mencionou que, em Maricá, já existem mais máquinas utilizadas para transações com a moeda social do que os equipamentos similares das grandes operadoras de cartões.

 

“Esse dado dá uma ideia da dimensão distributiva do programa, que visa incluir as pessoas para desenvolver a cidade, dignificando a produção e o consumo essencial e desconcentrando a circulação dos recursos”, afirmou.

 

Para o prefeito, o Programa Mumbuca ainda não atingiu todo o seu potencial de inclusão social, e mais pessoas deverão ser incluídas para o recebimento do benefício em 2020.

 

“Ainda é possível incluir gente no programa, o Brasil vive um momento de queda da renda e do número de empregos na macroeconomia, e a cidade tem feito um esforço muito grande na atração de empresas, comércio e serviços, fortalecendo a infraestrutura, mas a renda é um elemento importante da vida. A gente fortalece a atividade econômica com mais pessoas utilizando a moeda social”, finalizou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino