Prefeito de Maricá cobra do governador Witzel a elucidação dos assassinatos de jornalistas

23.07.2019

Em nota, o prefeito de Maricá, Fabiano Horta (PT), diz que acionou o governador do Estado, Wilson Witzel (PSC), e o chefe de Polícia Civil, Marcus Vinicius Braga, exigindo a rápida elucidação das mortes dos dois jornalistas assassinados na cidade em maio e junho. Um ofício também foi protocolado no dia 17 de julho nos gabinetes

                              Fabiano Horta quer saber quem matou e quem mandou matar Robson Giorno e Romário Barros

 

Fabiano Horta afirma que a sociedade maricaense necessita de respostas sobre os executores desses crimes e os motivos que levaram às execuções para que os culpados sejam levados a julgamento o mais rápido possível.

 

No documento oficializado, o prefeito cobra informações sobre as fases em que se encontram as investigações e publicidade para a população de Maricá.

                              CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

No fim de maio, o jornalista Robson Giorno, do jornal O Maricá, foi executado próximo à sua residência na Estrada do Boqueirão. Menos de um mês após o crime, o também jornalista Romário Barros, do portal LSM, foi assassinado no bairro de Araçatiba onde câmeras de rua demonstraram a premeditação do crime. Os dois foram executados com tiros na cabeça.

 

Na edição desta segunda-feira (22), do jornal Extra, a coluna de Berenice Seara com o título "Alerta na terra do faroeste" fala sobre a morte dos dois jornalistas e destaca que o deputado estadual e ex-vereador oposicionista de Maricá, Filippe Poubel (PSL) pode ser executado ou sequestrado, segundo relatório do setor de inteligência da Secretaria de Estado de Polícia Civil.

 

Na edição de hoje (23), o jornal O Dia também fala sobre as ameaças que o deputado Poubel vem sofrendo e  relembra os assassinatos de Giorno e Romário.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino