ABI aperta o governador para descobrir os assassinos dos jornalistas de Maricá

21.06.2019

A Associação Brasileira de Imprensa expressa repúdio e perplexidade com o assassinato do jornalista Romário da Silva Barros, fundador do site Lei Seca Maricá, baleado com três tiros na cabeça, na noite de terça-feira passada (18).


"Não é crível que esta seja a segunda execução de jornalistas, em menos de um mês, no Município de Maricá, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Robson Giorno, o primeiro a morrer, vítima de disparos dos ocupantes de um veículo Fiat Palio, era dono do Jornal O Maricá.

 

A ABI entende que assassinatos e agressões contra jornalistas, seja qual for a sua natureza, representam grave ameaça à liberdade de imprensa e ao Estado Democrático de Direito. As duas execuções se revestem de uma significação ainda mais brutal por terem sido praticadas no mesmo município, num curto espaço de tempo.

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro tem o dever de investigar e identificar rapidamente os responsáveis por essas duas execuções sob pena de conivência com a espiral de violência que se apossou da região onde ocorreram os assassinatos.

 

O Governador Wilson Witzel, como ex-juiz criminal, tem ainda o compromisso moral de impedir que essas duas mortes fiquem impunes. Sua Excelência precisa acelerar as investigações para que os autores e mandantes desses crimes sejam presos e submetidos aos rigores da lei.

 

Domingos Meirelles - Presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI)"

 

O disque denúncia lançou cartaz e já recebeu telefonemas dando informações sobre os dois assassinatos que estão sendo investigados pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino