Baile dos namorados animou o Palácio Guanabara


Neste sábado (15), o Palácio Guanabara, sede do Governo do Estado do Rio de Janeiro, recebeu o público fluminense para um baile em homenagem ao Dia dos Namorados. Apresentações da Orquestra Sinfônica da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Fatec), do coral da instituição e de dançarinos animaram quem esteve presente ao evento, no jardim do local. O grupo ‘Corpo em Movimento’, que tem cadeirantes da Operação Lei Seca como integrantes, também se apresentou. O governador Wilson Wiltzel prestigiou a edição especial do projeto “de Portas Abertas” e destacou os investimentos do governo na juventude do estado.

- Os meninos da Orquestra da Faetec foram fantásticos e cada um tem uma história de resgate e superação. Nós estamos investindo é neste futuro. Queremos resgatar aqueles jovens que estão em dias ruins e em grande vulnerabilidade social. É preciso mostrar que há um caminho e um futuro. O Palácio Guanabara não é do governador, é do povo do Rio de Janeiro – disse Witzel, que ainda assistiu a uma apresentação da Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais.

O projeto, que voltou a ser realizado este ano, além de promover eventos artísticos e culturais no Palácio Guanabara, também oferece visitas guiadas às instalações da sede governamental do Estado. Os visitantes, de forma gratuita, têm a oportunidade de conhecer o interior e as dependências do histórico prédio localizado no bairro das Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. O “Palácio Guanabara de Portas Abertas” é um projeto da Secretaria da Casa Civil e Governança.

Os interessados em participar dos eventos culturais ou visitações, precisam enviar um e-mail para visitaguiada@casacivil.rj.gov.br, especificando a opção desejada. As vagas são limitadas e o estacionamento no local sujeito à lotação.

O jardim

O jardim do Palácio Guanabara foi idealizado pelo paisagista francês Paul Villon, no começo do século 20, e se mantém intacto até hoje. No local, está o chafariz de Netuno, pequeno lago com a estátua do deus da mitologia romana que foi desenvolvida pela Fundição Val d’Osne, mais importante fundação do século 19, localizada na França. O jardim também é adornado por alamedas de palmeiras imperiais, plantadas a pedido da Princesa Isabel, e árvores frutíferas exóticas, como mangueira, caqui-preto, pêssego-da-Índia e olho-de-dragão.