Professores paralisam atividades e Cabo Frio pode enfrentar greve geral

11.06.2019

(Plantão dos Lagos) - Mais uma vez, em menos de um mês, os professores da rede pública municipal de Cabo Frio entram em greve, e o diferencial dessa vez é que os concursados tiveram os seus salários pagos no quinto dia útil desse mês. Mas, a categoria resolveu não dar mais “voto de confiança” ao governo e resolveu optar pela paralisação por tempo indeterminado a partir dessa terça-feira (11). A promessa da Prefeitura é pagar os salários dos contratados da Secretaria Municipal de Educação (SEME) nesta quarta-feira (12), conforme calendário anunciado pela Secretaria de Fazenda na semana passada.

                                                                                                    (divulgação)

 

A assembleia dos professores, mais uma vez, lotou a Escola Municipal Professor Edilson Duarte. O governo do Dr. Adriano Moreno (Rede), mais uma vez, descumpriu o acordo com a categoria que era de não pagar os salários de forma escalonada. Esse aliás, foi um dos motivos que levaram o ex-secretário Claudio Leitão à demissão no mês passado. Por não concordar em fazer o escalonamento dos salários a SEME acabou não mandando as folhas de pagamento para o banco no mês de maio, o que culminou em mais um atraso e uma outra greve.

Dessa vez, os professores deliberaram que se não houver o pagamento integral da categoria no quinto dia útil do mês, haverá greve no dia seguinte. A categoria mantém a deliberação de assembleia no sexto dia útil do mês. Pelo menos até quinta-feira (13/06) a greve está mantida, quando acontecerá uma nova assembleia, às 18h, no Edilson Duarte. Os professores também deliberaram se posicionar contra empréstimo que o governo pretende realizar e o SEPE Lagos deve emitir uma nota de repúdio nos próximos dias.

 

Greve geral

 

 

E a situação do governo do prefeito Adriano Moreno pode ficar ainda pior. Nessa terça-feira, às 17h30, está programada uma assembleia geral dos servidores de Cabo Frio, na porta da Prefeitura, que pode deliberar pela greve geral. A situação dos demais servidores do município, inclusive concursados, ainda é mais delicada que a dos professores. Eles ouviram hoje do Secretário de Fazenda, Antônio Carlos Nascimento Vieira, o “Cati”, depois de muita pressão e insistência na porta da SECFAZ que só haverá dinheiro nas contas mesmo no dia 19 de junho, o 13º dia útil do mês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino