Charreteiros de Petrópolis terão ajuda para abrir negócios

05.04.2019

 A Prefeitura está reunindo os charreteiros – atividade de tração animal encerrada com 117 mil votos da população em um plebiscito – para uma apresentação das ações que o poder público vai desempenhar para que eles tenham uma nova atividade econômica.  Na terça-feira (09), de 10 às 17h, no Espaço Empreendedor, na Barão do Rio Branco, órgãos públicos e parceiros vão estar disponíveis para atender individualmente cada família. Intermediar vagas para o mercado formal, ajudara abrir negócios e acessar financiamentos, requalificar profissionalmente, estágios em empresas e formação educacional serão oferecidos aos charreteiros e seus dependentes

CIEE, Secretaria de Educação, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Secretaria de Serviços e Ordem Pública, Secretaria de Assistência Social e AgeRio vão ter representantes no Espaço do Empreendedor para explicar e dar acesso imediato ao que os charreteiros desejarem. Este é o primeiro atendimento e, posteriormente, de acordo com o que for escolhido, haverá seqüência até que o serviço seja concluído.

 

“Serviços de vários setores do poder público estão sendo colocados à disposição dos charreteiros em um mesmo espaço para facilitar. Mas, não apenas isso: terão ajuda individualizada de acordo com o que desejam seja no campo de formação, seja na inserção no mercado, seja na montagem de um negócio próprio”, afirma o prefeito de Petrópolis Bernardo Rossi (MDB).

Em uma das ações, os charreteiros serão apoiados na formação de currículos e envio a empresas, com a prefeitura intermediando a busca de vagas – de acordo com o perfil de cada um.  Já há charreteiros que se anteciparam e recorreram à prefeitura para vagas em empresas de transporte urbano, inclusive.

 

Os charreteiros também podem optar em uma cessão de comércio ambulante e representantes da Secretaria de Serviços e Ordem Pública (SSOP) participarão deste encontro já para mostrar como funciona a concessão. O Detra também irá apresentar, com parceria com o Sebrae, como abrir seu próprio negócio e ainda como se tornar Microempreendedor Individual (MEI), atividade que vem se desenvolvendo no município.

 

Outra ação é intermediar junto a Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (Age-Rio) microcrédito que pode chegar a R$ 15 mil (divididos em várias etapas conforme o negócio for evoluindo).

A Prefeitura também coloca à disposição dos charreteiros e suas famílias o Ensino de Jovens e Adultos (EJA) para quem quiser melhorar sua formação educacional, completar estudos e ainda ter uma melhor qualificação para o mercado de trabalho. Vagas de estágio serão oferecidas por meio do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) aos filhos de charreteiros.

 

Também serão oferecidas vagas de informática, nível básico, nos Centros de Inclusão Digital (CIDs) e educação orçamentária no Centro de Excelência e Referência Tecnológica (CERT) podendo ser aberta uma turma especial.

 

A partir deste encontro, de apresentação, os charreteiros passam a ser atendidos individualmente pelos setores. “São perfis diferentes e que precisam ser contemplados de formas diversas. Assim, garantimos a continuidade do atendimento de acordo com a necessidade que cada um apresentar”, afirma o coordenador de Gestão Estratégica, Dalmir Caetano.

 

Ações oferecidas aos charreteiros:

  • Intermediação junto às empresas para vagas de trabalho formal

  • Cessão de licença para comércio ambulante

  • Licenças de Microempreendedor Individual (MEI)

  • Microcrédito (até R$ 15 mil) pela AgeRio

  • Curso para abertura de negócios pelo Sebrae

  • Vagas de estágio no CIEE

  • Matrículas no Ensino de Jovens e Adultos (EJA)

  • Formação em informática básica nos CIDs

  • Formação em educação orçamentária no CERT

 

ONG pode ficar com cavalos

A Fórum Animal, organismo que reúne 117 ONGs de atenção aos animais, já assinalou que quer ficar com os cavalos que faziam o trabalho nas vitórias da cidade.  A possibilidade de adoção também está sendo apresentada aos charreteiros e a prefeitura vai intermediar para que seja feita de forma legal. São 37 animais que seguiriam para santuários e não seriam mais usados em trabalho de tração.

 

“O trabalho de tração animal no município foi extinto pelo Prefeito, assim, os cavalos antes usados nas vitórias não poderão desempenhar este mesmo serviço mesmo que em outra situação diferente daquela praticada pelo turismo.  Os charreteiros que não puderem custear a manutenção dos animais também terão, assim, a opção de doá-los a uma entidade séria e que dará segurança aos cavalos”, afirma a coordenadora de Bem-Estar Animal, Elizabeth Amorim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Formação em educação orçamentária no CERT

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino