Lava-Jato:Prisão de Moreira Franco teve perseguição policial no Rio

O Rio de Janeiro que já era conhecido mundialmente pelas suas belezas naturais, carnaval e réveillon, está bombando  agora  nas mídias nacionais e internacionais,  por ser a capital brasileira da corrupção. Os números de  ex-presidentes da República e de ex-governadores presos aumentou nesta quinta-feira (21), com a Polícia Federal cumprindo mandados de prisão expedidos pelo juiz federal do Rio, Marcelo Bretas que já condenou o ex-governador Sérgio Cabral (MDB) a mais de 180 anos de prisão. Uma das prisões teve até cena de filme policial com perseguição

O ex-presidente da República, Luiz Ignácio Lula da Silva, cumpre pena em Curitiba, Paraná. Nesta quinta-feira (21), ninguém foi acordado  pela Polícia Federal às 6 da matina como é de hábito. Pelo contrário, as prisões foram feitas de manhã, por volta das 11 horas. A força-tarefa da Lava-Jato prendeu o ex-presidente Michel Temer (MDB)  em São Paulo, quando saia de casa de carro. Ele foi levado para a sede da  Polícia Federal na Praça Mauá, Centro do Rio.

 

Prisão perseguição

Para lá também foi levado o ex-governador do Rio, ex-prefeito de Niterói e ex-ministro Moreira Franco (MDB). A prisão dele foi digna de cenas de filme policial.

 

Moreira Franco, chamado por Leonel Brizola de "gato angorá", foi preso ao desembarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão, Zona Norte carioca.

 

A ação da Polícia Federal contou até com uma perseguição e teve a ajuda de um taxista, segundo informações da Band News TV.

 

De acordo com o jornalista Rodolfo Schneider para a Band News, um taxista foi abordado por agentes da PF para ajudar a prender Moreira Franco. Quatro agentes esperavam Moreira Franco no aeroporto, mas ele saiu por outra área em uma SUV marrom. Surpreendidos, os policiais começaram a perseguição.

 

Longe da viatura, os quatro policiais pediram ajuda a um taxista que trabalha na cooperativa do aeroporto e que chegava ao Galeão para buscar um passageiro. O taxista seguiu o carro de Moreira Franco, inclusive usando a faixa exclusiva do BRT. Ao ultrapassar o veículo do ex-ministro, os agentes desceram e realizaram a prisão.

 

Michel Temer e Moreira Franco serão levados para a prisão da alameda São Boaventura, no Fonseca, Zona Norte de Niterói, onde está preso o ex-governador Pezão.

 

Batizada de operação Descontaminação, as autoridades cumpriram oito mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 26 de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Distrito Federal. A investigação utiliza elementos recolhidos nas Operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade deflagradas pela PF. 

Prisões

 

Nos últimos anos foram presos cinco governadores do Rio de Janeiro. Anthony Garotinho e a mulher Rosinha foram presos e libertados; Sérgio Cabral cumpre quase 200 anos de prisão  e Luiz Fernando Pezão está sendo investigado. Também estão na cadeia, os ex-presidentes da ALERJ, Jorge Picciani e Paulo Mello, todos do MDB, além de seis deputados estaduais que reeleitos e mesmo no xadrez foram empossados na tarde desta quinta-feira (21). Na semana passada, após 90 dias de prisão, foi libertado o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), acusado de receber cerca de R$ 10 milhões em propina do setor de transportes. Já reassumiu o cargo e aguarda o pronunciamento da justiça em abril.

 

O festival de corrupção no Estado do Rio de Janeiro não para. No Tribunal de Contas, o então presidente Jonas Lopes foi preso e confessou em delação premiada, que permitiu a sua liberdade, o pagamento de propina envolvendo cinco dos seis conselheiros que  foram afastados do cargo.

Em alguns dos 92 municípios fluminenses, nos últimos meses, foram presos vereadores e presidentes de Câmaras Municipais e prefeitos afastados dos cargos como ocorreu no início desta semana em Iguaba Grande e Armação de Búzios.

 

E dizem por aí que quando a Operação Lava Jato atravessar de vez a ponte Rio-Niterói não haverá vagas no sistema carcerário do estado. O ex-governador Sérgio Cabral prometeu ao juiz Marcelo Bretas que falará tudo sobre corrupção nos municípios e na justiça. a mulher dele, adriana Ancelmo, que cumpre prisão domiciliar, negocia delação premiada. Vem chumbo grosso aí.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino