Agências comunitárias dos Correios funcionam em Itaipuaçu e Ponta Negra

12.02.2019

                                                                                                                                                                                                                                                                                                             Marcos Fabrício

Uma nova agência comunitária dos Correios foi aberta no Terminal Rodoviário de Itaipuaçu em janeiro, para atender moradores da região que precisam retirar encomendas. Quem mora no Recanto, Barroco, Jardim Atlântico, Morada das Águias, Reserva Verde (que inclui o condomínio do Minha Casa Minha Vida), Rincão Mimoso e Parque Vera Cruz poderá para buscar suas correspondências na unidade, que funciona ao lado do posto dos Serviços Integrados Municipal (SIM) de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Nos primeiros dias de funcionamento, as duas funcionárias da agência realizam uma média de 30 atendimentos por dia.

                                                                                                                                                                                 CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em Ponta Negra, outra agência funciona desde  outubro próxima ao Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) e atende ainda a Jaconé, Bananal e Vale da Figueira. As agências comunitárias são fruto de uma parceria firmada entre a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e a Secretaria de Administração de Maricá.

                                                                                                                                                                              CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com estas, chega a seis o número de unidades para entrega de encomendas. As outras ficam em Inoã, São José de Imbassaí, Guaratiba e Espraiado.

 

A coordenadora Elisabeth dos Santos esclarece que não são realizadas entregas domiciliares e que os objetos devem ser retirados nos locais.

 

“Os moradores retiraram todo tipo de correspondência, de cartas simples e garrafas de cerveja importada e até remédios para tratamentos. Nós treinamos nossos atendentes com capacitações de caráter técnico e também emocional, para que eles saibam lidar com o público que esteja ansioso por uma encomenda importante”, explicou Elisabeth.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino