Cabo Frio cria "Força-Tarefa" para garantir a bandeira azul

Uma “força-tarefa”, envolvendo várias secretarias, foi montada em Cabo Frio para resolver, até o dia 21, questões pendentes para garantir a manutenção da Bandeira Azul, título internacional de qualidade conquistada pela Praia do Peró. O objetivo do mutirão é realizar obras, concluir outras e cumprir as exigências da Coordenação Nacional do Projeto Bandeira Azul, que fará nova vistoria na praia nos próximos dias

                                                                                                                                                                                           Leonardo Monteiro

As equipes das várias secretarias vão atuar na melhoria da acessibilidade à praia para portadores de necessidades especiais; limpeza; ordenamento; e, segurança. Vão participar técnicos e trabalhadores das coordenadorias de Meio Ambiente e Posturas da Secretaria de Desenvolvimento; as Secretarias de Planejamento, Ordem Pública e Turismo e Mobilidade Urbana, além das Guardas Civil Municipal e Marítima e Ambiental e Comsercaf.

 

-- Claro que não está tudo pronto.  Passamos por um momento de dificuldades econômicas e a busca por parceiros é incessante. Estamos providenciando tudo o que for necessário para que, quando for feita a vistoria para o relatório do dia 21 de janeiro, tudo esteja funcionando perfeitamente -- assegurou o coordenador de Meio Ambiente, Mario Flávio Moreira.

          CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Nos últimos dias, moradores e turistas reclamaram de problemas de acesso à praia; falta de água no chuveiro público; presença de cães na areia; e, invasão de motos na orla do Peró, que foi fechada ao tráfego de veículos. O trecho certificado pela Bandeira Azul tem 500 metros, que corresponde a área da orla onde estão os quiosques.

 

A maior reclamação, contudo, foi fora da área certificada. Moradores e visitantes protestaram contra a desordem no trânsito, provocada principalmente pela falta de guardas municipais e reboques para remover os veículos estacionados irregularmente. Todos também sofreram com a falta de água. Condomínios preparam ação na justiça contra a concessionária Prolagos, que cobra tarifas com o valor estimado durante o ano para garantir o abastecimento na alta temporada, o que não aconteceu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino