Vergonha na ALERJ: deputados que ficam sem mandato pedem cassação de parlamentares presos

Os deputados estaduais André Lazaroni (MDB), Comte Bittencourt (PPS) e Carlos Osório (PSDB) que ficam sem mandato a partir da próxima legislatura, mandaram para a Corregedoria da ALERJ, pedido de cassação dos companheiros que foram presos pela Lava Jato

Carlos Osório, André Lazaroni e Iranildo Campos ficam sem tinta na caneta em 2019

Ironicamente, os três que são os mais assíduos do Conselho de Ética da ALERJ, vão ficar sem mandato a partir do ano que vem. Nas eleições de outubro, Lazaroni que tentou ser deputado federal, foi derrotado. Comte Bittencourt, foi vice na chapa de Eduardo Paes (DEM), que foi derrotado pelo ex-juiz Wilson Witzel (PSC) e, o tucano Carlos Osório não tentou a reeleição.

Eles enviaram para a Corregedoria da Assembleia Legislativa os pedidos de investigação dos 10 deputados presos pela Lava Jato, entre eles os ex-presidentes da Casa, Jorge Picciani e Paulo Mello e, o líder do governo Pezão (também preso), Edson Albertassi. Todos do MDB.

Quem vai ser o responsável por apurar as denúncias contra os colegas presos é o deputado Iranildo Campos (SD), que em 2019 não estará mais na ALERJ. Ele tentou uma cadeira na Câmara Federal e não se elegeu.

Iranildo Campos que também integra o Conselho de Ética e não vem comparecendo as sessões, terá que substituir o titular, deputado Chiquinho da Mangueira (PSC), que também está preso.

Como o recesso parlamentar começa no início da 2ª quinzena deste mês e o retorno será em fevereiro, com os deputados reeleitos eleitos em outubro e já devidamente diplomados e empossados, ninguém vai investigar nada até lá.