top of page

São Gonçalo busca alternativas para dar maior segurança a população


A segunda maior cidade do Estado do Rio em população, que convive à exemplo dos demais municípios, com a insegurança, busca alternativas para garantir o direito de ir e vir dos gonçalenses e visitantes.

O programa "Segurança Presente", que alcança vários bairros no Rio e em Niterói, pode chegar as ruas de São Gonçalo em 2019.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Coordenadores do programa apresentaram um projeto-piloto ao prefeito José Luiz Nanci (PPS); aos secretários de Governo e de Segurança Pública, Rodrigo Miranda e Felipe Brito; aos vereadores Diney Marins (PPS), Alexandre Gomes (PSB), Jalmir Junior (PRB), e à chefe de gabinete do prefeito, Eliane Gabriel.

A ideia é começar no centro da cidade, com uma equipe de 36 policiais militares e 20 agentes civis, a um custo mensal de R$ 650 mil.

"Vamos seguir o exemplo da cidade do Rio de Janeiro, que, através da Fecomércio, vem mantendo o programa nas ruas. São Gonçalo precisa de mais segurança. Estamos buscando meios para garantir mais tranquilidade à nossa população", garantiu o prefeito, pronto para sair de pires na mão em busca de parcerias.

Em Maricá, cidade vizinha de São Gonçalo e Niterói, a prefeitura assinou parceria com o governo do estado e PMs, em seus horários de folga, atuam nos quatro cantos do município. O PROEIS - Programa Estadual de Integração na Segurança - é bancado pela prefeitura comandada pelo petista Fabiano Horta.

bottom of page