MPF recomenda rigor no ordenamento das praias

Os ambulantes que trabalham nas praias da Região dos Lagos deverão recolher o lixo que produz e o que estiver próximo da área onde comercializa suas mercadorias. Esta é uma das recomendações que foram acertadas entre o Ministério Público Federal e os representantes das prefeituras da região através do projeto MPF Praia Limpa. As prefeituras e os comerciantes também se comprometeram a conscientizar os frequentadores das praias para não deixar lixo na areia

                                Praia das Conchas no verão passado

 

Na reunião realizada na Associação Atlética Cabofriense, em Cabo Frio, e mediada pelo procurador federal Leandro Mitidieri, também ficou acordado que os municípios deverão aumentar a fiscalização de posturas para a diminuição de mesas e cadeiras na areia das praias, instalarem mais lixeiras e intensificar a coleta de lixo. O procurador, do MPF de São Pedro da Aldeia, ressaltou que as recomendações são para todas as praias da Região dos Lagos e não somente para a Praia do Forte, como foi divulgado.

 

O objetivo do encontro foi discutir estratégias para o verão 2018/2019, principalmente no tocante à coleta do lixo e à ordenação das atividades de praia. O resultado do encontro vai compor um inquérito civil.

                                                                                                                                                                                         CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Através de nota, o procurador informou como os banhistas podem colaborar para o ordenamento das praias: “Primeiramente, deve haver a conscientização e um senso de fiscalização mútua. O MPF tem vários canais para recebimento de representações:  telefone, internet, sala do cidadão etc.”

 

-- A interferência do Ministério Público merece aplausos, mas o número de fiscais e guardas municipais é pequeno e o problema maior aqui no Peró é a falta de mobilidade na alta temporada. Os caminhões de coleta do lixo e os ônibus não conseguem circular por causa do excesso de carros e estacionamento irregular nas ruas – comentou o comerciante Renato Alves de Jesus, que tem comércio e mora no Peró, em Cabo Frio.

 

Os canais de denúncia do MPF são: página de atendimento ao cidadão no site pelo link http://www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/sac ou via telefone 21-3971-9553.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino