André Correa quer a presidência da Alerj mesmo se Paes perder


André Corrêa quer a presidência da Alerj a partir de 2019

Sem esperar o resultado das eleições de domingo (28) entre Eduardo Paes (DEM) e Wilson Witzel (PSC), o democrata André Correa se lançou candidato à presidência da Assembleia Legislativa (Alerj), que hoje tem como interino o petista André Ceciliano, porque o titular Jorge Picciani cumpre prisão domiciliar e não participou das eleições. Correa disse que conta com o apoio de Thiago Pampolha (PDT), Jair Bittencourt (PP) e Marcio Pacheco (PSC).

O experiente deputado tucano Luiz Paulo lembrou que a presidência da Alerj sempre foi influenciada pelo governo eleito e aproveitou para gozar o democrata com uma piada que ronda os corredores da Casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Vossa excelência disse que tem 41 votos. O deputado André Ceciliano falou que tem 39. Somam 80. Somaram-se 10 parlamentares a mais, os quais não vejo no nosso regimento".

Nessa negociação, André Correa não poderá contar com o apoio do PSOL. Eliamor Coelho (PSOL) foi ao microfone para criticar Correa que numa entrevista a um jornal carioca disse que se comprometia a impedir que o partido assuma a presidência das comissões de Direitos Humanos e Educação.

Com essa pressa toda, André Correa esqueceu que se Wilson Witzel - que conta com o apoio do PSL - vencer nas urnas Eduardo Paes, sua chance será praticamente zero. O PSL terá a partir de 2019, a maior bancada com 13 deputados.