Defesa Civil de Petrópolis visita pontos de apoio antes do período de fortes chuvas

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias da Cidade Imperial está intensificando o trabalho de prevenção aos desastres de origem natural antes do período de fortes chuvas: um calendário de operações nas praças e nas comunidades começa a funcionar em novembro com o objetivo de orientar a população e visitar os pontos de apoio existentes no município. Cartilhas ensinando os moradores a agir em caso de ocorrências, como deslizamentos de terra e inundações, também serão entregues aos moradores nestes locais

fotos PMP

O trabalho antecipado acontece em virtude dos números do último verão. Os índices de chuva cresceram 120% e a quantidade de ocorrências registradas subiu 48%. As atividades estão inseridas no SOS Chuvas, programa da prefeitura que conta com 48 estagiários voluntários de engenharia e arquitetura da Estácio e da UCP atuando de maneira preventiva em três áreas: Meio Ambiente, Obras e Defesa Civil.

Com 234 áreas de risco alto ou muito alto – equivalente a 18% do município - e um déficit habitacional de 12 mil casas, a prefeitura trabalha com foco na prevenção. Também como parte dessas atividades, os testes das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme estão sendo realizados mensalmente desde abril para que estejam funcionando em um momento de crise. No último, realizado no dia 10 de outubro, todo o conjunto operou perfeitamente. O trabalho antecipado e a organização das equipes dos órgãos de resposta serão apresentadas pela prefeitura no dia 28 de novembro, data de lançamento do Plano Verão 2019 de Petrópolis.

Outra ação importante do governo municipal na prevenção aos desastres de origem natural é a inserção dos temas Defesa Civil e Educação Ambiental nas escolas da rede municipal de ensino. A inclusão dos assuntos em sala de aula é inédita no Brasil e oferece a oportunidade de os estudantes desenvolverem a percepção dos riscos do seu bairro. Ao longo deste semestre, os alunos estão desenvolvendo trabalhos de acordo com as ameaças de desastres características do verão, como deslizamentos de terra e inundações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"A Defesa Civil nas Escolas é a principal ferramenta do governo para garantir uma cidade mais resiliente no futuro", garante o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, destacando a importância da presença na pasta nas comunidades, permanecendo próxima da população.

"O programa vai trazer muitos benefícios para o futuro da cidade. Pensando no presente, nossas ações têm foco nas áreas de maior risco geológico do município e que contam com o sistema de sirenes. Precisamos estar bem próximos dos moradores para que a gente tenha a redução do número de ocorrências neste verão", disse o secretário.

Criado no ano passado pela prefeitura para impedir o avanço das ocupações e construções irregulares na cidade, o SOS Chuvas segue aberto para os universitários interessados em participar. Os alunos devem procurar a coordenação de seus cursos para se inscreverem. As ações são direcionadas para articulação e mobilização comunitária, com a distribuição de panfletos informativos e de orientação; fiscalização e controle da ocupação desordenada e de proteção ambiental. Cada setor da prefeitura vai utilizar os estudantes dentro da sua atribuição, sempre acompanhado de um responsável técnico.

“Os benefícios para a cidade com a criação do SOS Chuvas são diversos, colaborando para o desenvolvimento dos estudantes. Os alunos trabalham com profissionais competentes da prefeitura, desde geólogos, engenheiros e arquitetos, adquirindo mais conhecimento. Além disso, conhecem a realidade da nossa cidade e as dificuldades encontradas”, explica Paulo Renato.