'Eduardo Paes é coautor de duas mortes, e Garotinho roubou', ataca Romário

03.09.2018

Ex-jogador parte para cima dos adversários na corrida ao governo do Rio:

"Esses dois não poderiam nem estar disputando a eleição"

                                                       Candidato ao governo do estado, senador Romário e seu vice, deputado federal Marcelo Delaroli

 

O  ex-jogador de futebol e campeão do mundo,  Romário (Podemos), candidato ao governo do estado tendo como vice, o deputado federal Marcelo Delaroli (PR), voltou a ser aquele atacante que o futebol mundial conhece. Deixou a timidez de lado e partiu para o ataque, conforme entrevista publicada nesta segunda-feira (03) na coluna Informe do jornal O Dia e que o GBNEWS reproduz na íntegra:

 

"A Coluna entrevista hoje o senador Romário Farias, candidato do Podemos ao governo do Rio.

 

Lembrando os tempos de língua afiada, o ex-jogador disse que Eduardo Paes (DEM) é "coautor de duas mortes", referindo-se ao caso da Ciclovia da Niemeyer, e chamou Anthony Garotinho (PRP) de ladrão. Ambos disputam com Romário a liderança no pleito, segundo as pesquisas Ibope e Datafolha.

 

O DIA: O senhor pareceu acanhado no seu primeiro debate na TV, na Band. Que nota se dá?

Romário: Me dou nota seis. Me senti um pouco tenso. Mais tenso do que quando bati pênalti na final da Copa. Mas tudo tem a sua primeira vez, né? Serei mais incisivo e mais claro nos próximos. O Romário vai ser mais Romário (o próximo debate na televisão será o do SBT, dia 19).

 

Em que a sua candidatura difere da de Paes?

 

Paes quer posar de bom gestor. Ele é gestor, mas não bom. Fez uma ciclovia de papel e, por isso, é coautor de duas mortes. Fez um BRT que ninguém sabe onde começa e onde termina. Que bom gestor é esse? Além disso, vários secretários do atual governador fazem campanha para ele. Paes é a continuidade do governo Pezão (MDB).

 

E em que seu projeto difere do de Garotinho?

 

Garotinho é um desses caras que destruíram o estado. É um grupo diferente do atual, mas também é um grupo ruim. O cara tem três prisões, roubou mais de R$ 250 milhões da Saúde. Não sou eu que estou dizendo, está provado. Garotinho e Paes não poderiam nem estar disputando a eleição. Os dois só estão por (meio de) liminar. Infelizmente, isso só acontece no Brasil. No início, minha intenção era fazer uma campanha propositiva, mas não posso deixar esses caras falarem de mim. Eles não têm moral para isso.

 

A sua vida financeira tem sido questionada, por causa das dívidas que o senhor acumula.

Tenho as minhas dívidas, e isso está sendo resolvido na Justiça. Existe um valor acima do que a gente entende que é normal, com juros exorbitantes, e estou contestando isso. E eu tô falando de dinheiro meu; não tem dinheiro público envolvido. Dinheiro meu, eu dou para quem eu quiser.

 

Mas o questionamento é em relação à sua capacidade como administrador.

 

Na vida pessoal, tenho problemas que vão ser resolvidos. Nada com corrupção. Como administrador público, não podem dizer se sou bom ou ruim. Nunca fui. Quero ter a oportunidade de ser. Os que foram estão na Lava Jato. Na vida pública, como deputado e senador, sempre estive na lista dos melhores parlamentares daquele prêmio 'Congresso em Foco'. Sou negro. Cresci na favela. Garoto, quando ficava doente, ia para hospital público. Para ir treinar, usava o transporte público. Estudei em escola pública. Sei o que o povo passa. Vou fazer de tudo para melhorar isso.

 

Como jogador, o senhor tinha fama de marrento. Caso se eleja governador, como gostaria de ser reconhecido?

 

Trabalhador.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino