Justiça tira do ar vídeo de Garotinho sobre a "farra dos guardanapos"

Os advogados do ex-governador Anthony Garotinho (PRP) vão amanhã a 118ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, em Cascadura - Zona Norte do Rio, para tomar conhecimento dos motivos que levaram a mandar remover da página do facebook um vídeo que prometia uma série de reportagens sobre a verdadeira história da "gang dos guardanapos"

Em 2009, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB) juntamente com alguns dos seus secretários de estado e empresários, comemoravam a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas, dois meses antes do anúncio oficial, levando o Ministério Público Federal à descoberta de esquema de propina no governo fluminense.

A comunicação da retirada foi feita pelo facebook à administração da página, no fim da tarde de sexta feira 13, citando ordem judicial expedida pela 118ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro.

Pré-candidato ao governo do Estado do Rio nas eleições de outubro, Garotinho alega que foi censurado.

"O conteúdo é jornalístico, não tem montagem, tudo é real. Muitas das imagens foram usadas nas ações do Ministério Público Federal contra o próprio Sérgio Cabral, que está preso condenado, e outros denunciados da Lava Jato", disse Garotinho acrescentando que é o peticionário da notícia-crime contra esse pessoal, que é detentor do pen drive original das imagens e que não pode compreender que a Justiça interfira.

Num dos trechos do vídeo, Sérgio Cabral cita o nome do ex-prefeito do Rio e pré-candidato ao governo do Estado, Eduardo Paes (DEM), eventual adversário de Garotinho nas eleições de outubro. (fonte UOL).