Romário visita instituição, joga bola e faz política em Maricá

fotos Paulo Celestino

Romário com os assistidos do Núcleo de Atividades Interativas e Recreativas - NAIR

O senador e pré-candidato ao governo do Estado, Romário Farias, continua o mesmo da época de jogador de futebol: marrento e fazendo pouco caso das pessoas, embora precise do voto delas para continuar na política. Romário Farias esteve neste sábado (07) em Maricá, visitou uma entidade que assiste pessoas com deficiência, jogou uma peladinha e depois empossou, numa cerimônia sonolenta, o diretório municipal do Partido Podemos que ele preside no Estado do Rio de Janeiro.

Pela manhã Romário visitou o Núcleo de Atividades Interativas e Recreativas (NAIR), instituição declarada de utilidade pública em 2005 que é voltada ao atendimento, apoio e inclusão social de pessoas com deficiência. Tirou uma série de fotografias que certamente serão utilizadas na sua campanha eleitoral. Se não conseguir suceder o governador Luiz Fernando Pezão (MDB), continuará senador por mais quatro anos.

internet

Em seguida, o ex-craque de futebol e campeão mundial, jogou uma pelada no Esporte Clube Maricá, tirou mais uma série de fotos. Terminado o jogo, Romário deu posse ao diretório municipal do Podemos: Douglas Santos de Almeida, presidente; Jorge Luiz Matheus de Almeida, vice-presidente; Felipe Moreira de Oliveira, secretário-geral; Raphael Monteiro Soares, 1º secretário; e, Vilma Maria Santos de Almeida, tesoureira.

Na solenidade realizada no auditório do clube, com pequeno público, o senador Romário Farias lembrou que em 2017 destinou para Maricá uma emenda parlamentar de R$ 1 milhão para a área de esportes, especificamente para a implantação de uma escola de futevôlei.

Dívidas

Mesmo todo enrolado com a justiça por não gostar de quitar seus compromissos financeiros, Romário insiste em querer ser governador e administrar um orçamento de R$ 63,3 bilhões/ano como o de 2018.

Na semana passada, a justiça do Rio apreendeu dois carros do senador: um Audi RS6 Avant e um Peugeot Allure, avaliados em cerca de R$ 500 mil, segundo a tabela Fipe e já estão penhorados. Os bens serão usados para quitar parte das dívidas de Romário. Em apenas um dos processos a que responde, o débito com um dos credores está estimado em R$ 20 milhões. A dívida é referente ao período em que o senador manteve o restaurante Café do Gol, na Barra da Tijuca.