Pelada: Marcelo Delaroli e Fabiano Horta não fazem tabelinha

foto whatsAPP

Quem esperava ver o deputado federal Marcelo Delaroli (PR) fazendo tabelinha com seu adversário político, o prefeito de Maricá, Fabiano Horta (PT), perdeu a viagem. É que o prefeito de Itaboraí, Sadinoel (PMB) convidou alguns políticos para jogo amistoso no campo do Alzirão contra um time formado por servidores públicos. Fabiano que venceu Delaroli nas urnas em 2016, não jogou e tirou apenas uma foto com time dos políticos. O amistoso terminou com a vitória dos políticos por 1 x 0. O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM), os estaduais Deodalto (DEM) e Pedro Fernandes (PDT), também participaram do amistoso que contou ainda com a presença em campo do prefeito de Tanguá, Válber (PTB). O gol foi de Deodalto.

Para quem não sabe, Marcelo Delaroli é freguês de carteirinha do PT na política maricaense. Nas três últimas eleições para prefeito, perdeu e como a política está fora do contexto, não pode pedir música no Fantástico Ainda mais porque não houve a tabelinha dos dois no campo de futebol.

Justiça eleitoral

Por falar em Maricá, termina na semana que vem o prazo para o vereador oposicionista Felipe Poubel se explicar na justiça eleitoral porque saiu do DEM e se filiou ao PSL. Se não convencer, perderá o mandato. Outro que está enrolado com a justiça eleitoral é o vereador governista Marcus Bambam (PV). Teve sua prestação de contas da eleição de 2016 rejeitada, está inelegível e se perder o recurso, não poderá tentar a reeleição em 2020. Como existe a possibilidade de recursos, os dois continuam com seus mandatos. Poubel e Bambam são marinheiros de primeira viagem.

Só queria entender

A justiça eleitoral cassou o mandato dos prefeitos de Cabo Frio, Marquinho Mendes e, de Rio das Ostras, Augusto Baltazar, ambos do MDB, por algumas irregularidades. Só que eles disputarão as eleições suplementares para prefeito em suas cidades, no próximo dia 24, respaldados na própria legislação eleitoral.

Na serra

E no próximo domingo (03), Teresópolis conhecerá seu novo prefeito e vice. A eleição suplementar é porque o ex-prefeito Mario Tricano (PP), que estava no cargo graças a uma liminar, decidiu renunciar juntamente com seu vice. A votação será das 8 às 17 horas.

Pé firme

O senador Lindbergh Farias (PT) vai disputar mesmo a reeleição. É que inicialmente ele pensava se eleger deputado federal, que seria mais fácil. Chegou à conclusão que tem cacife político para ficar mais oito anos no Senado. O presidente regional do PT, Washington Quaquá diz que não deve nada a justiça eleitoral e que vai se eleger deputado federal com pelo menos 100 mil votos.

Troca-troca

E o PT decidiu retirar a pré-candidatura do ex-chanceler Celso Amorim ao governo do estado. Em seu lugar entra a professora de filosofia e escritora Márcia Tiburi. A decisão foi tomada num encontro de quase 70 parlamentares e líderes de partidos de esquerda na casa do antropólogo e escritor Luiz Eduardo Soares.

União faz a força

A moçada da política de esquerda está se unindo para derrubar o pessoal que nos últimos 16 anos (Rosinha, Sergio Cabral e Pezão) vem comandando o Palácio Guanabara, ou seja, o MDB. Já acertaram os ponteiros os pré-candidatos do PDT e do PCdoB, o deputado estadual Pedro Fernandes e o vereador de Niterói Leonardo Giordano. Tudo foi feito com a assinatura do vice-presidente do PDT José Bonifácio e do presidente do PCdo B João Batista Lemos. O PT e PSB também podem fazer parte dessa aliança. Quem está fazendo jogo duro é o partido do deputado Marcelo Freixo. Na eleição de 2014, o PSOL obteve 700 mil votos com a candidatura de Tarcísio Motta, o que significa 9% do total do eleitorado fluminense.

Por hoje é só.