Vereadores de Maricá rejeitam os Bolsonaros mas aceitam Che Guevara e Marighella

Na sessão ordinária desta quarta-feira (16), os vereadores apresentaram para votação os nomes que serão homenageados pela Câmara Municipal nos festejos dos 204 anos de emancipação político-administrativa de Maricá no dia 26 de Maio. As homenagens serão durante uma sessão solene com a presença do prefeito Fabiano Horta (PT), secretários municipais e autoridades civis e militares

 

                                                                                                                                  foto internet

                               Deputados Flávio e Jair Bolsonaro não serão homenageados em Maricá

 

Com 12 votos, a Câmara Municipal de Maricá não aprovou para receber o título de Cidadão Maricaense o deputado federal e pré-candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro e seu filho, o deputado estadual e pré-candidato ao Senado, Flávio Bolsonaro, ambos do PSL. A indicação foi do vereador Filipe Poubel (PSL) alegando que sofre perseguição política.

 

                                                                                                                                                                                                                                             fotos Agencia GBNEWS

 

“Não existe votação. Aqui as pessoas mudam as regras do jogo e isso é perseguição política porque faço oposição ao governo petista de Maricá. Você (vereador Dr. Richard – PT) é socialista, mas vive a luxúria do capitalismo”, disse Poubel (foto) acrescentando que os petistas idolatram Carlos Marighella e Che Guevara, que segundo ele foram dois comunistas sanguinários, terroristas, assassinos e que nada fizeram por Maricá.

 

A resposta de Poubel foi porque Dr. Richard abriu a discussão dizendo que os Bolsonaros nada fizeram por Maricá e que os dois estariam colocando em risco as famílias na solenidade da Câmara.

“São ditadores fascistas (os Bolsonaros) e a presença deles com seus seguranças armados colocariam em risco a integridade das nossas famílias”, afirmou o vereador petista.

 

O presidente da Câmara, Aldair de Linda (PT), mostrando o regimento interno, disse que a Casa cumpria o que estava escrito.

 

“Reconheço que nas últimas legislaturas  cometemos o  erro ao homenagear personalidades sem a devida votação. Estamos agora seguindo religiosamente o que determina o nosso regimento interno”, afirmou Aldair (foto) ao se defender de que a regra do jogo não foi alterada para barrar a homenagem aos Bolsonaros.

 

O líder do governo na Câmara, Fabrício Bittencourt (PTB) lembrou que Flávio e Jair Bolsonaro nunca colocaram um centavo em Maricá.

 

 

“Não são bem vindos. Jair está no seu quinto ou sexto mandato e nunca votou uma emenda parlamentar para Maricá. Não queremos a direita fascista, não estamos fazendo perseguição política, tanto é que aprovamos o título de Cidadão Maricaense para o deputado federal Marcelo Delaroli (PR) que faz oposição ao prefeito Fabiano Horta (PT). Aprovamos também o nome do dr. Chicão, que foi vice na chapa de Delaroli na eleição para prefeito em 2016”, argumentou Fabrício que está no seu primeiro mandato.

 

Na legislatura passada os vereadores concordaram – sem votação – que o novo hospital que está sendo construído em São José do Imbassaí levará o nome de Che Guevara e que o condomínio do Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu, que abriga cerca de 1.400 famílias, tem o nome de Carlos Marighella. A atual bancada governista não questiona esses nomes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino