Maricá virou shopping de bandidos afirmou o vereador Poubel

 

 

Mais uma sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Maricá e mais uma vez os parlamentares reclamaram da atuação do PROEIS e da PM na cidade porque não estão contendo a onda de violência. Alguns vereadores ainda não entenderam que não adianta criticar e pedir providências  ao governador Luiz Fernando Pezão (MDB). Com a intervenção federal ele não manda em mais nada na área da segurança

 

                                                                                                                        fotos Agência GBNEWS

                                   Vereadores prestam atenção ao pronunciamento de Felipe Poubel sobre segurança em Maricá

 

Na sessão de hoje, o vereador democrata Felipe Poubel, oposição ao governo municipal, disse que é preciso buscar respostas junto ao interventor federal da segurança do Estado, general Braga Netto."Vamos  pedir providências urgentes porque Maricá virou shopping de bandidos", afirmou.

 

Antes, abrindo os trabalhos, o vice-presidente da Casa, Frank Costa (SDD), substituindo o titular que está de licença médica, falou do crescente índice de violência no município.

 

"Num espaço de apenas cinco horas, nesta terça-feira (20), no pequeno loteamento São Francisco, em São José do Imbassaí, ocorreram oito assaltos. Recebi inúmeras mensagens e ligações de pessoas pedindo socorro", disse Frank que integra a bancada governista.

 

Desinformado, o vereador Ismael Breve (DEM), sugeriu reunião entre o capitão da 6ª Cia, capitão Barreto responsável pelo policiamento na cidade) e o prefeito Fabiano Horta (PT), para buscar respostas junto ao responsável pela intervenção. Esta reunião aconteceu ontem, terça-feira (20), no gabinete do chefe do executivo municipal que contou ainda com a participação do secretário municipal de Segurança, Celso Netto. O encontro foi amplamente divulgado na mídia local e  no portal da prefeitura. Breve é governista, mas integra um partido oposicionista.

 

Chiquinho (PP), também de oposição ao governo municipal, pediu que a população se atente em não divulgar os horários e locais onde estiverem ocorrendo blitzes policiais.

 

“Tenho visto os policiais do Proeis fazendo blitzes. Mas, tenho visto também a população avisando onde tem blitz colocando ao vivo no Facebook e agradecendo ao capitão Barreto. Os criminosos também têm rede social. Se eles sabem que aí tem blitz eles não vão passar”.

 

O vereador governista Dr. Felipe Auni (PSD) defendeu a atividade policial. “Ele está ali enfrentando o bandido, dá um tiro, cumprindo seu papel. Depois disso, ele tem que prestar esclarecimentos, ir ao juiz e nisso ele perde tempo. A vida de polícia não é fácil”.

 

Em consequência da reunião no gabinete do prefeito Fabiano Horta, a PM e o PROEIS começaram no início da manhã desta quarta-feira, ações na RJ-106 onde trabalhadores e estudantes são constantemente assaltados. Como o princípio da isonomia na área de segurança em Maricá não é respeitado, apenas um site "amigo" acompanhou as ações. Qual foi o resultado?

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino